Após propaganda falsa sobre coronavírus, Amazon barra 1 milhão de produtos

Getty Images

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Gigante retirou de venda nas últimas semanas um milhão de produtos cujos vendedores afirmaram, indevidamente, serem capazes de curar ou defender contra coronavírus.

  • Empresa também removeu produtos com preços considerados abusivos.

A gigante Amazon retirou de venda nas últimas semanas cerca de um milhão de produtos em função de vendedores terem afirmado, de forma indevida, serem capazes de curar ou defender o usuário contra o coronavírus.

Segundo a agência de notícias Reuters, a empresa informou que também removeu dezenas de milhares de ofertas de produtos com preços abusivos.

Leia também

A Amazon é a maior varejista da internet do mundo. Ela tem enfrentado críticas devido a ofertas de produtos de saúde em sua plataforma.

Na Itália, por exemplo, no início da semana passada foi aberta uma investigação sobre altas de preços de produtos como gel de higienização e máscaras sanitárias. O país enfrenta o maior número de casos da doença na Europa.

De acordo com uma porta-voz da companhia, não há espaço para preços abusivos na Amazon.

Ainda conforme a porta-voz, a empresa pode tirar do ar ofertas de produtos que prejudiquem a confiança dos consumidores, incluindo quando os preços são significativamente mais altos que os ofertados dentro ou fora da Amazon.

Por outro lado, a porta-voz não informou qual o critério usado para definir se um produto pode ser considerado como tendo preço abusivo.

A Amazon informou que monitora picos de preços e anúncios enganosos por meio de uma combinação de sistema automático e manual das ofertas.