Após polêmica, prefeitura cancela show de Gusttavo Lima de R$ 1,2 milhão em MG

Após polêmica, prefeitura cancela show de Gusttavo Lima de R$ 1,2 milhão em MG (Foto: Rita Franca/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Após polêmica, prefeitura cancela show de Gusttavo Lima de R$ 1,2 milhão em MG (Foto: Rita Franca/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

Após polêmicas de contratações de shows de sertanejos com recursos públicos, a Prefeitura de Conceição de Mato Dentro, em Minas Gerais, anunciou o cancelamento do show que Gusttavo Lima faria no dia 20 de junho, com um cachê de R$ 1,2 milhão.

A apresentação aconteceria na 30ª Cavalgada do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos e, segundo comunicado oficial, foi cancelada porque a prefeitura não queria envolver o evento "em uma guerra política e partidária, que não tem nenhuma ligação com o município e tampouco com a tradicional festa". Além de Lima, a dupla Bruno e Marrone também se apresentaria e teve o show cancelado.

"A administração não permitirá o envolvimento da Prefeitura em questões que não representam o município e nem as festividades da cavalgada que é a celebração, sobretudo, do amor entre as pessoas e não o ódio que estão tentando disseminar. A festa também é importante para a economia do município e de toda região e será mantida, preservando a paz", conclui o comunicado.

Entenda o caso

Durante um show em Sorriso, no Mato Grosso, no início de maio, Zé Neto proferiu um discurso que muitos fãs entenderam como pró-governo de Jair Bolsonaro (PL), e mencionou a tatuagem no ânus de Anitta. "Sorriso, Mato Grosso, um dos Estados que sustentou o Brasil durante a pandemia”, diz o cantor no vídeo nas redes sociais. Em 2018, a dupla chegou a fazer campanha para Bolsonaro.

“Nós somos artistas que não dependemos de Lei Rouanet. O nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no ‘t***’ pra mostrar se a gente tá bem ou não. A gente vem simplesmente aqui e canta", acrescentou ele. Dias depois, foi revelado que a dupla recebeu R$ 400 mil para realizar da prefeitura, oriundos de recursos públicos, para subir ao palco no dia.

Mas os comentários a Anitta não respingaram apenas em Zé Neto e Cristiano: Gusttavo Lima também recebeu dinheiro público para se apresentar em eventos. Até o momento, dois casos já haviam sido revelados: no primeiro, a prefeitura de São Luiz, em Roraima, pagou R$ 800 mil para uma apresentação do sertanejo na XIII Feira de Agronegócios do Município de São Luiz de Roraima. A cidade tem pouco mais de 8 mil habitantes e o que chamou a atenção foi o valor do cachê pago em relação ao tamanho do município.

O segundo caso é em Magé, na região metropolitana do Rio de Janeiro, onde a prefeitura pagará mais de R$ 1 milhão para o artista cantar na festa de aniversário da cidade, uma das menos desenvolvidas do estado.

Ao ser questionado sobre os valores, Gusttavo Lima respondeu, em nota divulgada pela empresa que o representa, que "não cabe ao artista fiscalizar as contas públicas para saber qual a dotação orçamentária que o chefe do executivo está utilizando para custear a contratação."