Após polêmica, Donata Meirelles sai da 'Vogue': 'Com coragem e a cabeça erguida'

Reprodução/Instagram/donatameirelles

Donata Meirelles não ocupa mais o cargo de diretora de estilo da edição brasileira da “Vogue”. A notícia da demissão veio quase uma semana depois da festa de aniversário de 50 anos da socialite ser acusada de racismo por remeter ao Brasil Colonial, com mulheres negras vestidas como mucamas.

Receba novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais) no seu Whatsapp

Por conta da repercussão nacional e internacional, na última quarta-feira (13), após horas de reunião de portas fechadas, foi decidido que Donata deixaria a equipe da revista. Em carta — divulgada por Sonia Racy no jornal “O Estado de SP” — aos amigos próximos, ela afirmou sair da empresa “com tristeza no coração, mas com coragem e cabeça erguida”.

“Com tristeza no coração, mas com a coragem e a cabeça erguida que sempre pautaram a minha vida, inicio um novo ciclo e peço demissão da Vogue Brasil, uma publicação que ajudei a construir. Te amo Vogue, te amo desde jovenzinha. Conte comigo para que você continue fazendo a diferença no mercado editorial e de moda, defendendo e promovendo todas as belezas humanas, como eu continuarei a defender”, escreveu.

Após diversas manifestações nas redes sociais e por exigência de um dos patrocinadores do famoso Baile da Vogue — marcado para o dia 21 de fevereiro — a revista se pronunciou sobre o assunto em seu Instagram na última segunda (11). “Em relação às manifestações referentes à festa de 50 anos de Donata Meirelles, a Vogue Brasil lamenta profundamente o ocorrido e espera que o debate gerado sirva de aprendizado, leia abaixo a nota na íntegra.

Donata compartilhou a publicação e acrescentou o seguinte texto: “Aos 50 anos, a hora é de ação. Ouvi muito, preciso ouvir ainda mais. Quero agir em conjunto com as mulheres que têm a me ensinar e com quem mais estiver disposto a ser elo em uma transformação que se faz necessária. Meu compromisso é me colocar em (re)construção! Em ação!”.

Bastidores

Sabe se ainda que três grandes patrocinadores do Baile cancelaram seus patrocínios e um outro, responsável pelo tema da festa “Carnaval Dourado” não está nada contente em vincular sua marca neste momento ao evento.

Após o ocorrido, Donata só apareceu na redação da ‘Vogue’ na última terça-feira (12) e disse ter sido “vítima de fake news”, pois o tema nunca foi “Brasil Colônia”. Ela ainda chorou ao falar sobre o caso.

Repercussão

Muitas personalidades se pronunciaram nas redes, caso da cantora veterana Elza Soares. “Não faço juízo de valor sobre quem errou ou se teve intenção de errar. Faço um alerta! Quer ser elegante? Pense no quanto pode machucar o próximo, sua memória, os flagelos do seu povo, ao escolher um tema para ‘enfeitar’ um momento feliz da vida”.

A comemoração luxuosa aconteceu no Palácio da Aclamação, em Salvador (BA), na última sexta-feira (8), e contou com um show VIP de Caetano Veloso, além de presenças ilustres como da atriz Regina Casé, das cantoras Margareth Menezes e Preta Gil, da modelo Celina Locks, entre outros famosos e nomes de peso da high society brasileira.

A polêmica surgiu por conta das fotos (compartilhadas) em que mulheres negras, vestidas de branco, com turbantes aparecem recepcionando convidados ao lado de uma cadeira de palha utilizada para fotos. A própria anfitriã fez questão de posar no mobiliário (foto acima). Ativistas citaram o traje como sendo o mesmo utilizado pelas mucamas (escravas domésticas) no Brasil Colônia, além do móvel se tratar de um artefato utilizado pelas mulheres brancas da época, chamadas de ‘sinhás’ nas fazendas coronelistas. E o do fato das mulheres negras aparecerem como uma “peça decorativa” nesse cenário.

Shelby Ivey Christie, diretora da Loreal EUA e negra, fez questão de posicionar sobre a temática e expôs Donata em uma série de posts em seu Twitter. Vale lembrar que a Vogue faz parte de um grupo internacional com grande peso no mercado editorial global.