Após revelar estupro, Karen Junqueira cria projeto para conscientizar contra abusos

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A atriz Karen Junqueira, 37, que revelou há cerca de seis meses ter sofrido abuso sexual aos 12 anos, decidiu agora criar um projeto para conscientizar as pessoas contra o abuso infantil. A informação foi dada pela coluna Patricia Kogut, do jornal O Globo, e confirmada à reportagem pela assessoria da artista. Junqueira, que ficou conhecida ao fazer a Tuca em duas temporadas em "Malhação", entre 2006 e 2007, revelou no ano passado, em uma carta publicada pela revista Claudia, que foi abusada pelo pai de sua melhor amiga. Segundo ela, foram poucos minutos que se transformaram em uma eternidade massacrante. "Era aniversário dela e acabei passando a noite lá. Eu me lembro de cada detalhe. Estávamos juntas, lado a lado, dormindo na mesma cama. Era tarde da noite, usávamos o mesmo pijama branco estampado com palhacinhos vermelhos. Foi quando meu sono foi interrompido pelo pai dela", contou Junqueira. De acordo com a atriz, seu mundo parou no instante em que sentiu os dedos e a língua do agressor. "Eu congelei e sequer consegui abrir os olhos ou a boca para gritar. Enquanto ele me abusava, sua filha dormia grudada em mim e eu escutava sua esposa tomar banho", relatou ela, que só revelou o abuso à família dez anos depois. Segundo Junqueira afirmou à coluna Patricia Kogut, "depois do meu relato, muitas mães me procuraram, amigas que sequer tinham imaginado que isso havia acontecido comigo... Essas pessoas comentaram que vão ficar mais atentas ao comportamento dos filhos". Foi por causa disso que ela criou esse novo projeto. "Tenho conversado com uma psicóloga que é perita judicial e trabalha com casos parecidos. Ela tem me ajudado a montar a campanha. A ideia é conscientizar os pais para falar em casa sobre educação sexual. Fazer isso não se trata de ensinar precocemente sobre sexo, mas de promover o diálogo. A gente precisa diminuir esse tabu." "Há muitas crianças que nunca contaram nada aos pais, por vergonha, culpa ou medo de serem ameaçadas", continua ela. "Porque muitas vezes o abusador é um conhecido da família. Eu fiz quase dez anos de terapia e, para mim, foi um processo de libertação falar. Eu tirei um peso das costas. Compreendi que as palavras podem ser poderosas também para que isso não volte a acontecer com outras pessoas." A assessoria da atriz confirmou o projeto, mas disse estar ainda em fase embrionária, sem data ainda de lançamento. Mais detalhes devem ser divulgados nos próximos meses.