Após presenciar agressão a Dave Chappelle, Maurício Meirelles se diz 'feliz de não ser relevante assim'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 01/09/2018 - o apresentador Mauricio Meirelles. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 01/09/2018 - o apresentador Mauricio Meirelles. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O comediante brasileiro Maurício Meirelles estava em uma das primeiras filas do show de humor de Dave Chappelle, na terça (3), no Hollywood Bowl, em Los Angeles, ocasião em que o americano foi agredido por um homem que subiu ao palco.

Segundo Meirelles, em áudio enviado à reportagem, ele e mais outros comediantes do Brasil assistiam à apresentação produzida pela Netflix junto de outras 18 mil pessoas. O ataque aconteceu já na parte final do show.

"Presenciamos o cara subindo e dando uma cabeçada na barriga dele e depois caindo. Foi uma coisa muito rápida, em 30 segundos já tinha todos os seguranças atrás dele e ninguém estava entendendo nada. O Chappelle fez uma piada lá com a situação e arregaçaram o cara lá no fundo", conta.

Na sequência, o humorista Chris Rock entrou no palco e fez uma piada perguntando se o agressor era Will Smith, em referência ao tapa que ele mesmo levou após fazer comentário sobre a cabeça raspada de Jada, esposa de Smith, no Oscar 2022.

Meirelles também fará show pelos Estados Unidos e diz que não terá muitos seguranças para ajudá-lo caso outra pessoa resolva fazer algo parecido com ele. "Serão dez brasileiros representando o país aqui. Nos sentimos felizes em não sermos tão relevantes assim a ponto de apanhar."

Filmagens que circulam pelas redes sociais do momento da agressão mostram uma pessoa correndo em direção a Chappelle no palco e lançando o corpo sobre ele. O incidente aconteceu quando ele encerrava a sua performance e agradecia aos demais humoristas que participaram da noite, entre eles Chris Rock, Leslie Jones e Jon Stewart.

Chappelle ainda voltou depois ao palco, aparentemente ileso, e finalizou sua apresentação. Ele também brincou com o ataque, dizendo que a pessoa que o enfrentou era um homem trans. Acusado com frequência por ativistas LBGTQIA+ de fazer piadas transfóbicas, no ano passado ele foi alvo de protestos de funcionários da Netflix.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos