Após impasse com a China, post de Eduardo Bolsonaro repercute nas redes e faz termo ‘bananinha’ entrar nos Trending Topics. Entenda

Fernanda Alves
·2 minuto de leitura
Foto: GILMAR FELIX/ Agência O Globo

A publicação no Twitter do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, acusando o Partido Comunista Chinês de espionagem sobre a tecnologia 5G gerou uma reação da embaixada da China, e mesmo depois de ter sido apagada pelo parlamentar, repercutiu nas redes sociais nesta quarta-feira. O assunto colocou a expressão “bananinha”, usada como referência pejorativa ao deputado por internautas, nos Trending Topics.

Entre os políticos que comentaram as declarações do filho do presidente, está o ex-governador Ciro Gomes. Em seu perfil ele escreveu:

“Estes irresponsáveis estão destruindo a economia brasileira por vassalagem vergonhosa à ultradireita norte-americana!“

Irmão de Eduardo, Carlos Bolsonaro não gostou da publicação e respondeu, postando uma foto de Ciro Gomes junto a um poste.

A embaixada da China fez uma reclamação formal ao governo brasileiro contra uma publicação Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. O deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) afirmou que “o filho do presidente está empenhado em destruir a relação do Brasil com a China, um dos maiores parceiros comerciais do nosso país”.

“Essa postura irresponsável acabará trazendo prejuízos para a nossa economia, além das relações internacionais. É inaceitável!”, completou.

Eduardo fez o comentário que desagradou os chineses ao falar sobre a adesão do Brasil à chamada Clean Network (Rede Limpa), articulada pelos Estados Unidos junto a outros países e cujo objetivo é banir a Huawei dos serviços de tecnologia 5G. O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) disse que parlamentar está exercendo a “antidiplomacia”.

“O filho do presidente exercendo a antidiplomacia que tantos prejuízos vem trazendo ao país. Fustigar o maior parceiro comercial do Brasil custa caro. Até porque o outro lado da moeda, os EUA, elegeu um presidente que não tem alinhamento com Bolsonaro”,postou.
A deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS), ao comentar o assunto, lembrou problemas do país relacionados ao combate da epidemia do novo coronavírus.

“6,8 milhões de testes que poderão ser perdidos, milhões em recursos autorizados para combate a COVID-19 não gastos, disputa ideológica em torno da vacina, que ameaçam a vida, e agora Eduardo Bolsonaro dispara nova fake news contra a China. A extrema-direita tem que ser derrotada”, escreveu.

Para o deputado federal Chico D'Angelo (PDT-RJ), é preocupante para o Brasil ter problemas de relacionamento com um dos principais parceiros comerciais do país.

“O filho do presidente cria mais um problema com um dos nossos maiores parceiros comerciais por causa de devaneios. Espero que os empresários que ainda apoiam a família estejam atentos”, afirmou no Twitter.

Mas houve quem saísse em defesa de Eduardo Bolsonaro. O deputado federal Marco Feliciano (Republicanos -SP) definiu a atitude de Eduardo como “expressão de ideias”.

“Nada mais NORMAL do que uma ditadura achar ANORMAL um parlamentar expressar suas ideias com liberdade”, escreveu o parlamentar, marcando o presidente Jair Bolsonaro no post.