Após expulsar homem de metrô, Laryssa Ayres diz que preferia sair machucada a se calar

CRIS VERONEZ

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A atriz Laryssa Ayres, 22, não para de receber mensagens de apoio e também de preocupação desde que ajudou um grupo de mulheres a expulsar um homem do vagão feminino do metrô, no Rio, nesta quinta (3).

O momento, que foi parar nas redes sociais, viralizou na web.

"É complicado, né. E esse foi apenas mais um dos casos desse tipo. Uso metrô na minha rotina para trabalhar e todo dia passo por situações constrangedoras, seja por um homem entrar no vagão que não deve até situações de assédio. Eu estava engasgada há muito tempo", afirmou Ayres, em conversa com o F5. 

No camarote da Doritos, a atriz curtiu a penúltima noite de Rock in Rio ao lado da namorada, a também atriz Maria Maya, 38, que mostrou orgulho diante da atitude de Ayres.

"Eu não estava presente naquele momento, mas já estive em outras situações. Fico muito orgulhosa por ela ter tomado essa atitude. Não podemos ter medo, porque é ele que faz com que a gente fique na inércia. Fico feliz de ver uma geração mais jovem que eu com esse ímpeto", disse Maya, com lágrimas nos olhos e recebendo o carinho da namorada.

Ayres diz que sua mãe ficou preocupada quando soube do ocorrido, e que precisou acalmá-la pelo telefone.

"Recebi também muitas mensagens de meninas agradecendo, porque já passaram por situações assim. A gente se sente muito oprimida. E dá medo de tomar atitude pela covardia do que pode vir depois. Minha mãe diz que uma hora vou chegar em casa machucada. Mas é melhor do que me calar", reforça a loira, que confessa realmente ter ficado muito nervosa durante o episódio.

"Minhas pernas tremiam. Mas é sempre assim. Quando a gente se posiciona, os homens fazem com que a gente se sinta louca." 

Tanto Maya quanto Ayres afirmam estar confiantes nas próximas gerações. 

"Meu irmão de 12 anos me ligou e disse que o colégio todo dele estava do meu lado. Fico feliz com esse posicionamento", conclui Ayres.