Após discurso de Paula, precisamos falar sobre o machismo em 'No Limite'

Resumo da notícia

  • No terceiro episódio de 'No Limite', Paula Amorim fez um discurso discutindo o machismo dentro do reality

  • A ex-BBB questionou o preconceito que faz com que os homens ainda sejam considerados os mais fortes e resistentes nas provas do programa

  • "Eu sei que consigo ganhar de qualquer homem aqui dentro", disparou Paula

O terceiro episódio de 'No Limite' levantou uma questão importante a respeito do formato do reality após um discurso incisivo da participante Paula Amorim. A ex-BBB pontuou o machismo inerente a realities baseados em força física e resistência, nos quais grande parte do público e dos participantes ainda acredita que apenas homens conseguem vencer determinados tipos de prova.

A discussão aconteceu após a equipe Carcará deixar Paula e Elana foram da Prova de Imunidade, e Paula reuniu Zulu, Lucas Chumbo, Gui Napolitano e Viegas para deixar claro que nem sempre os homens serão os integrantes mais adequados para uma prova de resistência. Em sua passagem pelo BBB, Paula ficou conhecida por sua força física nas provas de resistência do programa.

Leia também

"Eu sei que todo mundo aqui está sempre dando o seu melhor, mas existe algo importante a ser dito nessa situação. Eu acredito que se disputar com qualquer um de vocês, eu posso ganhar. A gente não está acreditando que eu só vou ganhar se for com outra menina. Eu coloco qualquer homem daqui ou da outra equipe e consigo ganhar. E ponto. Quando a gente for distribuir as próximas provas, tem que pensar em força e fraquezas de cada participante. Isso de mulher não conseguir já ficou no passado”, discursou.

Realities que envolvem provas de resistência ou pura força física já provaram que nem sempre os homens são os mais fortes - no 'BBB18', do qual Paula participou, a sister Ana Clara bateu um recorde ao lado de Kaysar ao permanecer mais de 42 horas em uma disputa por imunidade. Kelly, do 'BBB12, ficou 30 horas dentro de um carro sem dormir, ir ao banheiro ou comer.