Após críticas pela ausência de diversidade racial, Bafta promete alterar sistema de indicação

MARINA LOURENÇO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após diversas críticas feitas ao Bafta, principal premiação do cinema britânico, a cerimônia deve passar por mudanças no método de indicação ao prêmio. Uma lista com os nomes dos indicados de 2020 foi divulgada na terça-feira (7) e a hashtag #BaftasSoWhite (Bafta tão branco) esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter devido a ausência de atores não brancos entre os concorrentes. Marc Samuelson, que é o chefe de comitê de cinema do Bafta, disse à Variety que haverá uma "revisão cuidadosa e detalhada" e prometeu alterações para o próximo ano. Atualmente, uma votação entre os membros organizadores, que são mais de 6.000, ocorre na maioria das categorias para elencar os artistas indicados a premiação. Mas segundo as promessas feitas, outro sistema será adotado e para isso, os responsáveis pelo Bafta já estão discutindo o assunto. A ideia é aumentar a diversidade racial, assim como o Oscar, que após críticas também alterou suas regras de funcionamento. Samuelson já havia demonstrado descontentamento com a falta de representatividade na lista anunciada e disse estar irritado com a situação. A diretora de premiação do Bafta, Emma Baehr, porém, culpou a indústria cinematográfica. "Isso não deve desmerecer aqueles que foram indicados este ano", afirmou ela em entrevista à Variety . Para Samuelson, a mudança no Bafta é necessária e requer calma e reflexão cuidadosa. A cerimônia acontece em 2 de fevereiro, no Royal Albert Hall, em Londres.