Aos 65 anos, Liam Nesson diz que pretende deixar de fazer filmes de ação

O ator em cena de ‘Noite Sem Fim’, lançado em 2013. (Imagem: divulgação Warner)

A fase “herói dos filmes de ação” na carreira de Liam Nesson pode estar perto de acabar. Em entrevista publicada esta semana no site Page Six, o ator irlandês afirmou que pretende voltar aos papéis mais sérios em dramas como ‘A Lista de Schindler’ e ‘Michael Collins: O Preço da Liberdade’, que tornaram seu rosto conhecido pelos cinéfilos antes de estrelar o primeiro ‘Busca Implacável’, em 2009. Desde então, ele passou a ser mais conhecido por protagonizar outros longas onde tiros, perseguições e socos são os pontos principais.

“Estes thrillers foram acidente”, disse, de forma bem humorada. “Os produtores continuam me oferendo muito dinheiro para fazer coisas como esta, mas eu digo ‘Caras, já tenho 65 anos. Uma hora o público não vai mais acreditar'”.

Antes da aposentadoria deste estilo, o ator já gravou outros dois filmes do gênero, previstos para estrear em 2018: ‘Hard Powder’, onde faz um sujeito comum que se vê numa luta contra traficantes, e ‘The Commuter’, no qual repete a parceria com Jaume Collet-Serra, diretor de ‘Desconhecido’, ‘Sem Escalas’ e ‘Noite Sem Fim’.

Dali para frente, a tendência é que o público volte a ver Neeson em produções como o recente e introspectivo ‘Silêncio’, de Martin Scorsese, o drama ‘Mark Felt: The Man Who Brought Down the White House’, que fala sobre o escândalo de Watergate e acabou de estrear no Festival de Toronto, e ‘Widows’, novo trabalho de Steve McQueen, diretor de ’12 Anos de Escravidão’.