Aos 52 anos, Claudia Raia revela que congelou óvulos e pensa em ter mais filhos

Foto: João Miguel Júnior/Globo

Versátil e dona de uma personalidade única, Claudia Raia tem chamado atenção na pele de Lidiane em ‘Verão 90’. Espalhafatosa como sua personagem, a atriz não nega ter o sangue italiano e, aos 52 anos, esbanja maturidade a cada nova declaração.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Em entrevista à Quem, a poderosa afirma que os 50 são os novos 30, mas o Brasil ainda não está preparado para mulheres empoderadas e bem-sucedidas, com chance até de terem filhos depois dos 50 anos.

Ela e o ator Jarbas Homem de Mello, por exemplo, estão juntos desde 2012, casaram no civil em dezembro do ano passado, e pensam na possibilidade de aumentar a família mesmo com idades “avançadas”.

Leia mais: Aos 65 anos, Claudete Troiano fala da pressão de envelhecer e questiona luta feminina

Congelei óvulos, mas não é uma decisão ainda. A gente às vezes conversa, às vezes pensamos que sim, às vezes que não”, afirma Claudia. Além de encarar a gravidez, ela também pensa em adotar uma criança com o atual marido.

“Ele não tem filho, então acho que gostaria. Se bem que Jarbas é um padrasto muito bacana, muito presente. Ele tem os meninos como amigos e companheiros, e os três se dão bem muito bem. Claro que esse vazio de um lugar sem filho, quando você tem enteados, de alguma maneira está suprido. Mas acho que ele gostaria de ter filhos”, avalia.

Embora veja algumas mudanças positivas com o passar do tempo, a global ainda vê o Brasil como um país atrasado, explica que as mulheres só têm espaço até os 30 anos e questiona a liberdade conquistada até aqui ao lembrar dos anos 90, período em que é ambientada a novela.

A gente está numa época muito chata onde todo mundo te julga. Todo mundo bota o dedo na sua cara dizendo o que é que você tem que fazer. Ficou muito chato você ter que o tempo todo estar se desculpando ou estar tendo que entrar em um formato que alguém acha que está certo ou que é politicamente correto”, critica ela, que se sentia mais livre no passado.

“Naquela época ninguém ficava atrás de você para saber se era bom, se era ruim, não interessava. Interessava a sua vontade, aquilo que você queria ser e aquilo que você queria dizer com seu trabalho e sua vida. Então eu me sinto lisonjeada por ter vivido isso”, garante a estrela.