Anthony Hopkins supera Chadwick Boseman e vence Oscar por 'Meu Pai'

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O lendário ator britânico Anthony Hopkins venceu o troféu de melhor ator por "Meu Pai", de Florian Zeller, superando o favorito Chadwick Boseman, que estava cotado ao prêmio póstumo por "A Voz Suprema do Blues". Esta é a segunda vez que Hopkins ganha o prêmio. Em 1992, ele levou o Oscar por um de seus trabalhos mais memoráveis, "O Silêncio dos Inocentes", de Jonathan Demme, no qual viveu o icônico personagem Hannibal Lecter. Aos 83 anos, o ator se tornou a pessoa mais velha a receber um Oscar de atuação, superando Christopher Plummer, vencedor como melhor ator coadjuvante por "Toda Forma de Amor". Ele não estava presente na cerimônia. Hopkins se consagra pelo papel de Anthony, um idoso que lida com o avanço da demência, entrando em progressiva confusão com sua casa, sua filha e sua própria identidade. Zeller, que venceu melhor roteiro adaptado pelo filme, celebrou em seu discurso poder contar com o veterano para o papel. Hopkins já foi indicado outras quatro vezes na cerimônia. Concorreu a melhor ator coadjuvante por "Dois Papas", de Fernando Meirelles, no ano passado, "Amistad", de Steven Spielberg, em 1998, e melhor ator por "Nixon", de Oliver Stone, em 1996, e "Vestígios do Dia", de James Ivory, em 1994.