Ansiedade pós-confinamento: o que é e como lidar

·4 min de leitura
Saiba como lidar com ansiedade pós confinamento (Foto: Reprodução/ Getty)
Saiba como lidar com ansiedade pós confinamento (Foto: Reprodução/ Getty)

Depois de passar centenas de dias em confinamento, o mundo finalmente recebeu a boa notícia de que o lockdown chegou ao fim.

Em Sydney, os moradores aproveitaram o primeiro fim de semana de liberdade depois de quatro meses, já que o estado de New South Wales também flexibilizou as restrições.

Leia também:

Os feeds das redes sociais foram inundados de fotos de celebrações, reuniões e festas. No entanto, para algumas pessoas, essa volta a algo próximo à normalidade pode provocar muito mais ansiedade do que felicidade.

Talvez as pessoas tenham se acostumado ao conforto do lar e estejam um pouco ansiosas com a ideia de voltar ao escritório ou se misturar com a multidão em lugares públicos.

Como explica o Dr. Frank Chow, diretor e psiquiatra da 2OP Health, essa ansiedade com a mudança de ambiente é totalmente normal e acontece com muitas pessoas.

"Com o fim das restrições e do confinamento, e a abertura das cidades, o governo e as organizações de saúde estão incentivando as pessoas a sair. Por isso, a mudança nas rotinas e nos hábitos é inevitável", conta o Dr. Chow ao Yahoo Vida e Estilo.

"Para algumas pessoas, significa sair da zona de conforto, o que pode provocar desconforto e ansiedade na transição do confinamento para a vida sem restrições".

"Fomos obrigados a ficar em casa durante meses diante da ameaça do coronavírus, e isso nos deu uma sensação de segurança".

O que podemos sentir?

Segundo o Dr. Chow, é comum sentir ansiedade, confusão e desconforto ao voltar para o mundo lá fora.

O médico também diz que é provável sentir cansaço, falta de motivação e energia.

"Ficamos três meses em casa aqui na Austrália, por isso nossa resistência diminuiu", explica.

"Voltar à rotina de pegar o transporte público para o trabalho, socializar, sair com os amigos e encontrar a família pode ser muito cansativo no começo".

Uma pesquisa da Australian Bananas constatou que cerca de metade dos australianos (46%) acham que não terão energia suficiente para interagir com outras pessoas, fazer exercícios ou pegar o transporte público quando as restrições terminarem.

Além disso, cerca de três quartos (74%) dos australianos sentem que precisarão de mais energia para realizar as atividades comuns do dia a dia, e até mesmo sair de casa, depois do confinamento.

A nutricionista Susie Burrell diz que é compreensível que os australianos tenham sentimentos confusos em relação a mais uma mudança em suas rotinas diárias.

"Para ter mais energia, escolho sempre alimentos ricos em vitamina B. As bananas são uma ótima opção para melhorar o humor e controlar os níveis de glicose no sangue", explica Susie. "Nesse momento em que muita gente não se sente bem para encarar os meses movimentados que vêm por aí, priorizar a boa alimentação ajuda a garantir o combustível para fazer tudo o que é necessário".

Ansiedade em ambientes movimentados

Segundo o Dr. Chow, passar muito tempo sem ter contato com outras pessoas pode provocar "ansiedade social" em ambientes públicos e movimentados. Além disso, o medo de contrair o vírus não ajuda.

"Recomendo que as pessoas se concentrem nas coisas que podem controlar, como a própria saúde e a vacinação, mantendo sempre o distanciamento social e frequentando lugares com práticas seguras para evitar a Covid", ele sugere.

"É bom voltar a interagir com outras pessoas de forma gradual, talvez com grupos menores e, com o tempo, passar para reuniões com mais gente conforme você se sentir mais à vontade".

"Também é importante aprender a colocar o foco nas pessoas que estão conosco, que também podem estar sentindo a mesma coisa. Isso ajuda a equilibrar a tensão e a ansiedade".

Medo de voltar ao escritório

O Dr. Chow diz que os empregadores devem ajudar a definir as expectativas em relação à volta da equipe ao escritório, criando um plano para o retorno gradual.

"Sabemos que, tanto física quanto psicologicamente, vamos levar um tempo para incorporar a nova rotina e o novo estilo de vida fora do confinamento. Já nos acostumamos a ficar em casa", ele comenta.

"Também recomendo que as pessoas contem como se sentem aos colegas e chefes".

"Os funcionários devem ter uma conversa coletiva, compartilhar preocupações comuns e pensar em soluções e medidas que possam ser implementadas para criar um plano de volta ao escritório aceitável para todos".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos