Anitta se diverte durante exame íntimo: "Colocou um negócio no meu polêmico"

Anitta no Billboard Music Awards 2022, em Las Vegas, nos Estados Unidos (Foto: REUTERS/Steve Marcus)
Anitta no Billboard Music Awards 2022, em Las Vegas, nos Estados Unidos (Foto: REUTERS/Steve Marcus)

Em tratamento contra a endometriose, Anitta compartilhou com seus seguidores no Instagram um exame no assoalho pélvico que precisou realizar como parte do acompanhamento médico.

Bem-humorada, a cantora deu risada durante os exercícios que precisa fazer na região anal. "Estou fazendo um negócio muito engraçado. Sensacional! Virei uma pintora de c*. Estou jogando videogame com o cu. Vou mostrar para vocês. O nome técnico é biofeedback. Para ficar menos técnico, menos tabu, a gente chama de videogame com o c*", riu ela.

Para mostrar melhor a situação para seus seguidores, Anitta mostrou a tela do exame, que capta sinais elétricos da região do ânus, vagina e uretra". Ela colocou um negócio lá no meu polêmico, e eu tenho que fazer um desenho. Vou tentar escrever meu nome com meu c*. Estou arrasando aqui", completou ela.

Anitta está curada?

Anitta, Larissa Manoela, Tatá Werneck, Adriana Esteves e diversas outras famosas já revelaram sofrer de endometriose, doença que afeta pessoas com útero e acontece quando o endométrio – tecido que reveste o interior do útero – vai para outros órgãos da pelve.

O caso de Anitta foi assunto constante nas últimas semanas, já que a cantora passou por uma cirurgia e não escondeu os estragos físicos e emocionais que a endometriose trouxe. "Da América à Europa sem dormir porque a dor fala mais alto que tudo. Você não consegue se concentrar num livro, num filme, nada", escreveu no Twitter.

A artista ainda revelou que há pelo menos nove anos lida com a condição. Entre diversas consultas, técnicas e conselhos, o diagnóstico correto veio e ela precisou passar por uma cirurgia. Uma dúvida comum que pode surgir é: após o procedimento, é possível que a doença retorne? O Yahoo conversou com Sidney Pearce, médico e fundador do Núcleo de Endometriose do Ceará (NECi), que adiantou:

"A endometriose é tida como uma doença que não tem cura. Ela se inicia, principalmente, através do refluxo da menstruação pelas trompas. Uma vez que você opera, se retira todos os focos visíveis (da doença). Mas, se a paciente continuar tendo menstruações incessantes ou estímulos do hormônio produzido pelos ovários, a doença pode retornar".