Anitta rebate decisão do TSE e diz que prefere pagar multa a não se manifestar politicamente

Brazilian singer Anitta arrives for Univision's 34th Edition of
Foto: EVA MARIE UZCATEGUI/AFP via Getty Images

Depois da euforia de se apresentar ao lado de Miley Cyrus no palco do Lollapalozza neste sábado (26), Anitta usou seu perfil em rede social para se manifestar contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em vídeo publicado neste domingo (27), a cantora disparou que prefere pagar multa de R$ 50 mil estabelecida.

"Interrompemos a programação da minha felicidade para falar o seguinte: gente, não existe isso de proibir um artista de expressar publicamente a infelicidade dele perante a um governo que tá rolando no exato momento. Entendo a questão de fazer campanha política para um candidato, acho que realmente que cada um vota em quem quer", disse.

E continou: "Porém, proibir a gente de expressar a nossa insatisfação com o governo atual, isso é censura, isso é 1900 e bolinha, em que o povo não podia fazer nada. A gente não quer voltar para a estaca zero não. E eu vou lutar com todas as minhas armas. 'Ah, vai botar multa de não sei quantos?' Ah, então a gente paga, queridos. Briga aí meus amigos que quiserem se manifestar, eu pago a multa de vocês".

Entenda a decisão do TSE

O ministro Raul Araújo, do TSE, o Tribunal Superior Eleitoral, classificou como propaganda eleitoral as manifestações políticas das cantoras Pabllo Vittar e Marina no Lollapalooza e determinou multa de R$ 50 mil para a organização do festival se houver outras.

Lollapalloza 2022

A decisão liminar proíbe manifestações a favor ou contra qualquer candidato ou partido político, e foi tomada no sábado. Ela acata parcialmente um pedido da campanha do presidente Jair Bolsonaro, do PL, realizado na manhã daquele mesmo dia. Os advogados do PL também tinham solicitado condenação do Lollapalooza por propaganda eleitoral antecipada, o que não ocorreu.