Anitta quebra silêncio e analisa Bolsonaro: 'Faz parecer normal ter preconceito'

(Foto: Agência EFE)

Desde outubro, quando Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) disputavam o segundo turno das eleições presidenciais, o público esperava um posicionamento de Anitta. Pressionada, a cantora chegou a dizer que apoiava a campanha “Ele Não”, criada por opositores do atual presidente, mas não convenceu em seu discurso. Recentemente, porém, a poderosa resolveu deixar mais claro o que pensa em entrevista à agência de notícias internacional ‘EFE‘.

“Pode ser, sim, que Bolsonaro seja bom para a economia. Pode ser, sim, que ele seja bom para áreas que o país necessita, economicamente falando e tal. Mas se temos um representante que expressa abertamente opiniões más sobre diferentes tipos de pessoas, de amor, de feminismo, isso faz com que as pessoas sintam que é normal ter preconceito“, disse a cantora.

Anitta ainda continuou afirmando que não se importa com as opiniões de Bolsonaro, mas acredita que tê-lo como represente do país pode causar um problema social por conta de seus discursos. “Ele pode ser a pessoa que quiser ser, não tenho nada a ver com isso. O problema é que se pensarmos que nosso representante diz coisas que deixam as pessoas tranquilas para tratar os outros dessa maneira, aí temos um problema social“, afirmou.

Leia mais: Anitta dormiu no chão do aeroporto para conseguir lançar novo álbum: ‘Cansada’

Aos 26 anos, a cantora admite não ser a pessoa que tem o costume de sentar para falar de política e economia, mas acredita que o Brasil deve crescer e progredir, independentemente de quem esteja no comando. “Precisamos querer que nosso país evolua, sempre, mas também temos de ser fortes na ideia de que queremos respeito, independentemente do que aconteça, e que queremos liberdade para ser o que quisermos ser. E agora”, concluiu.

Assista a seguir