Anitta sensata? A importância do posicionamento político da cantora

·6 minuto de leitura
Anitta começou a usar as redes sociais para compartilhar os seus aprendizados sobre política (Foto: Reprodução/Instagram/@anitta)
Anitta começou a usar as redes sociais para compartilhar os seus aprendizados sobre política (Foto: Reprodução/Instagram/@anitta)

Por mais que o coronavírus seja o maior protagonista de 2020, no Brasil um outro assunto tem ganhado mais palco do nunca antes: política. Mais especificamente, a necessidade de posicionamento político diante de um momento tão marcante na história do país governado por Jair Bolsonaro (Sem Partido). Que o diga Anitta, que tem, ultimamente, mostrando o seu interesse no assunto nas redes sociais.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Na última semana, por exemplo, ela participou de uma live junto de Gabriela Priori, em que falou, na lata, sobre a sua ignorância em relação ao assunto - e foi aplaudida na web.

Fato é: Anitta já foi muito criticada sobre o seu posicionamento (ou melhor, falta dele) dentro e fora das redes sociais, mas parece viu a necessidade de entender melhor sobre o funcionamento da política brasileira e falar a respeito do assunto abertamente com seu público — bem significativo.

Inclusive, respondendo a alguns comentários no Instagram, há alguns dias, ela explicou como durante a quarentena finalmente teve tempo de estudar assuntos aos quais, antes, não conseguia se dedicar.

Existem teorias do porquê a cantora tem tomado esse partido (com o perdão do trocadilho) - tem muita gente por aí que acredita que esse é só mais um truque para ganhar atenção e aumentar os números online — sim, ela é uma gênia do marketing.

Leia também

Por outro lado, há de se considerar o seu papel social. Com mais de 46 milhões de seguidores só no Instagram, é importante que Anitta leve essas discussões para o seu público. Principalmente considerando que, no Brasil, a consciência política é baixa.

Em um país onde a educação é falha e precária e a própria política é um palco de escândalos, é de se admirar que alguém do tamanho de Anitta abra a câmera por uma hora para mostrar que não sabe, mas quer entender, sobre a separação dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário).

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A boa notícia é que a cantora recebeu inúmeros comentários positivos no Instagram desde que a primeira live com Gabriela foi ao ar - elas farão mais encontros ao vivo juntas nas próximas semanas.

A importância do processo de aprendizado de Anitta

Criticar a falta de conhecimento de Anitta é um sinal de ignorância. Primeiro por desconsiderar o contexto: a cantora nasceu em um bairro de classe média baixa no Rio de Janeiro e não teve as mesmas oportunidades que alguém nascido em um bairro nobre de São Paulo ou Rio, por exemplo. E, ainda assim, nascer em local privilegiado não é sinônimo de politização. Sem falar sobre as prioridades que ela teve ao longo do tempo e a forma como precisou tomar as rédeas da própria carreira para fazer apenas aquilo que acreditava (caso você não saiba, ela é a própria empresária).

Outro ponto é acreditar que o ensino no Brasil é igualitário (ainda mais quando se fala em escolas públicas) e que entrega às crianças e adolescentes todo o conhecimento que eles precisam para fazer uma escolha consciente e desenvolver o próprio senso crítico quando o assunto é política.

É muito comum, inclusive, as pessoas com maior acesso à informações construam esse senso por meio de outros meios que não a escola básica e fundamental (como a influência dos pais, estudos na universidade e assim por diante).

Ao mesmo tempo, é válido lembrar que Anitta faz parte de uma classe [artística] que, desde o começo do governo Jair Bolsonaro, sofreu brutalmente com a falta de incentivo e cortes de financiamentos.

Anitta, claro, não necessariamente precisa desse apoio governamental, mas muitos de seus colegas de classe, sim. E considerando o seu comentário sobre a última entrevista da então Secretária da Cultura, Regina Duarte, ela tem percebido o impacto dessa falta de suporte - algo que, diga-se de passagem, é cultural no Brasil.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

No último final de semana, aliás, o YouTuber Felipe Neto viralizou com uma carta aberta em que pedia aos colegas de classe, pessoas com influência, artistas e amigos, a se posicionarem politicamente por conta do que vem acontecido nos últimos tempos - o caso Gabriela Pugliesi, por exemplo, foi um agravante.

"Influenciador que não se manifesta agora é cúmplice", disse o YouTuber no vídeo, que já tem mais de 8 milhões de visualizações só no Twitter.

Anitta ouviu o recado - talvez até bem antes de Felipe sentir a necessidade de gravar a mensagem. Tantas vezes criticada pela falta de posicionamento, assumiu que não sabe e se abriu para aprender - mais importante, mostrar para os seus fãs que, inclusive, esse é um movimento muito importante se queremos um país melhor daqui para a frente.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Um posicionamento como esse - um movimento como esse - parece algo inédito por aqui, principalmente quando consideramos o alcance que essas pessoas têm. Realmente, compreender política virou uma necessidade, mais do que um luxo, e assumir a falta de conhecimento para gerar uma abertura ao aprendizado é essencial para sabermos até que ponto vão os nossos direitos e onde começam os nossos deveres.

Na crise do coronavírus, o que percebemos, mais claramente do que nunca é que a ação de uma única pessoa pode gerar um efeito no mundo inteiro. Se pelo menos uma das 3 milhões de pessoas que (até agora) assistiram a live de Anitta, entenderem melhor como funciona o sistema político brasileiro e porque é importante ter consciência na hora do voto, sua função como influenciadora foi cumprida.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A motivação, de fato, não é tão relevante assim. Que seja para chamar atenção, conseguir mais seguidores, virar manchete… Anitta demonstrou humildade ao assumir que não entende um assunto pelo o qual ela era tão cobrada por se posicionar e, tendo mais conhecimento, esse posicionamento será embasado e de acordo com o que ela acredita de verdade.

Quem bom para todos que ela decidiu compartilhar esse processo de formação de opinião com as pessoas. Pelo bem ou pelo mal, quem sai ganhando é quem tira máximo proveito de uma oportunidade de aprender.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos