Anitta não leva Grammy Latino de 'Envolver' e Rosalía ganha álbum do ano

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Anitta não levou o aguardado Grammy Latino de gravação do ano por "Envolver" no evento que terminou na madrugada desta sexta-feira (18). A estatueta ficou com o uruguaio Jorge Drexler e o espanhol C.Tangana, ex de Rosalía, pela música "Tocarte", também celebrada como canção do ano --estavam na categoria ainda nomes como Christina Aguilera, Becky G, Camilo, Shakira e Rosalía.

Em paralelo, foi a espanhola quem venceu a estatueta de melhor álbum com "Motomami". Em seu discurso, ela agradeceu o apoio dos estúdios e todos que a apoiaram para a gravação do álbum.

Nesta semana, Anitta foi indicada a artista revelação para o Grammy do ano que vem, a principal premiação da indústria musical, e havia expectativa de que "Envolver" levasse o Grammy Latino.

Uma surpresa do prêmio foi a artista revelação premiada, a cubana Angela Alvarez, que tem 95 anos. Apesar de sua relação com a música ser antiga, foi só em 2021 que ela conseguiu gravar o primeiro álbum, com o ajuda do neto, que é produtor musical.

Anitta, que apresentou "Envolver" durante o evento em Las Vegas, também disputava por uma estatueta na categoria melhor interpretação reggaeton, mas perdeu "Lo Siento Bb:/", de Tainy, Bad Bunny e Julieta Venegas. A faixa, que viralizou no TikTok no começo do ano por causa da dancinha que acompanha o refrão, atingiu o topo da lista de músicas mais ouvidas do mundo no Spotify. É o maior sucesso global da brasileira.

Marina Sena, Jão, Luísa Sonza, Liniker e Ludmilla concorriam em categorias reservadas à música em língua portuguesa. Ludmilla se destacou ao ganhar sua primeira estatueta do gênero com "Numanice #2", considerado o melhor álbum de samba/pagode. Mas foi a banda Bala Desejo quem levou a melhor na decisão pelo álbum de pop contemporâneo em língua portuguesa, com o disco "Sim Sim Sim".

Nomes da MPB como Caetano Veloso, Marisa Monte e Ney Matogrosso se enfrentaram na categoria melhor álbum de música popular brasileira, mas quem ganhou foi Liniker, primeira artista trans a ganhar o prêmio, com "Indigo Borboleta Anil".

A cantora Gal Costa, morta na semana passada, foi homenageada por Anitta ao som de "Chuva de Prata". "Uma figura única nos deixou há poucos dias. Ela que foi reconhecida pela academia. Gal, você vai fazer muita falta e esse show é para você", disse Anitta. "Nunca vamos te esquecer", afirmou ainda a cantora Thalía.

Já Marisa Monte e o uruguaio Jorge Drexler venceram em melhor canção em língua portuguesa, derrotando Marina Sena, Jão e também Caetano. Erasmo Carlos também foi contemplado ao vencer a estatueta de melhor álbum de rock/música alternativa em língua portuguesa com "O Futuro Pertence à... Jovem Guarda".

Marília Mendonça, morta há um ano, apareceu na lista de indicados a melhor álbum de música sertaneja com o disco "Patroas 35%", o último gravado por ela, com suas amigas Maiara e Maraísa, mas que perdeu. Chitãozinho & Xororó foram os vencedores, e disputavam também as duplas Matheus & Kauan, além do cantor Gabeu, que faz sertanejo sobre temas relacionados à comunidade LGBTQIA+.

Além de competir com Anitta pela estatueta de gravação do ano, Rosalía também concorria pelos prêmios de álbum do ano, com seu aclamado "Motomami", e em canção do ano com "Hentai". O álbum da espanhola ganhou em categorias como melhor álbum de música alternativa, melhor projeto gráfico de álbum e de engenharia de gravação.

A espanhola cantou trechos de três canções. A primeira, "Hentai", começou tocando piano com jaqueta e óculos escuros; depois "La Fama" tirou a jaqueta e fez a performance entre tecidos movimentados por bailarinos. Na última música, "Despechá", dançou animadamente junto com os dançarinos e foi para plateia com o namorado Rauw Alejandro.

Cantaram no prêmio também Christina Aguilera e Christian Nodal, que apresentaram a faixa "Cuando Me Dé La Gana", além dos cantores Rauw Alejandro, Nicky Jam, Angela Aguilar, Carlos Vives e Camilo, Jesse e Joy, Marc Anthony, Sebastian Yatra e John Legend, Karol G., Romeo Santos, Jorge Drexler e Elvis Costello, Chiquis e Banda Recoditos.

Christina Aguilera ganhou o melhor álbum pop vocal tradicional com "Aguilera". "Não lançava há muito tempo um álbum em espanhol. É muito bom estar de volta à minha casa. Agradeço aos meus fãs, produtores e filhos."

Anitta foi uma das apresentadoras do Grammy Latino, num time que tinha ainda Luis Fonsi, Thalía e Laura Pausini. A cerimônia ocorreu na arena Mandalay Bay Events Center, em Las Vegas, nos EUA.

Principais vencedores

Gravação do ano: "Tocarte" - Jorge Drexler & C. Tangana

Álbum do ano: "Motomami" (Digital Album) - Rosalía

Canção do ano: "Tocarte" - Jorge Drexler & C. Tangana

Melhor artista revelação: Empate entre Angela Alvarez e Silvana Strada

Melhor álbum pop vocal: Dharma - Sebastián Yatra

Melhor Álbum Pop Vocal Tradicional: "Aguilera" - Christina Aguilera

Melhor canção urbana: "Titi Me Pregunto" - Bad Bunny

Melhor canção pop: Empate entre "La Guerrilla De La Concordia", de Jorge Drexler e "Tacones Rojos", de Sebastián Yatra

Melhor fusão/interpretação urbana: "Titi Me Pregunto" - Bad Bunny

Melhor interpretação reggaeton: "Lo Siento Bb:/" - Tainy, Bad Bunny e Julieta Venegas

Melhor álbum de pop contemporâneo em língua portuguesa: "Sim Sim Sim" - Bala Desejo

Melhor álbum de rock ou de música alternativa em língua portuguesa: "O Futuro Pertence À... Jovem Guarda" - Erasmo Carlos

Melhor álbum de samba/pagode: "Numanice #2" - Ludmilla

Melhor álbum de música popular brasileira: "Indigo Borboleta Anil" - Liniker

Melhor álbum de música sertaneja: "Chitãozinho & Xororó Legado" - Chitãozinho & Xororó

Melhor canção em língua portuguesa: "Vento Sardo" - Marisa Monte feat. Jorge Drexler

Melhor vídeo musical versão curta: "This Is Not America", Residente feat. Ibeyi

Personalidade do ano: Marco Antonio Solis