Anitta fala de depressão e dos esporros que dá na equipe

Foto: Francisco Cepeda/AgNews

Ela tem apenas 25 anos, mas é ambiciosa e quer que o mundo a conheça. O plano tem dado certo e nesta sexta-feira (16), Anitta estreia na Netflix sua série documental “Vai Anitta”, com seis episódios sobre sua vida — pessoal e profissional.

Uma mistura de reality show com documentário, o material mostrará o início do relacionamento da cantora com o ex-marido Thiago Magalhães, as conversas íntimas com os familiares, o porre que ela levou logo após ter sido pedida em namoro pelo empresário, as broncas que dá na equipe — “meus esporros estão lá”–, além de falar sobre o período em que teve depressão.

Leia mais:  Show das Poderosas! Anitta e Madonna podem gravar funk

“Era para série ter ter saído antes, mas tive uma crise de depressão muito forte e tivemos um vácuo. Não conseguia gravar, não conseguia ter câmera perto, não conseguia fazer nada. Foram três, quatro meses sem conseguir assimilar. E tudo meu é muito assim [intenso]. Minha equipe sabe como sou e sabiam que se tocassem [o projeto] sem eu ter condição, não ficaria feliz. Então, todos pararam e ficaram esperando eu voltar ao normal para que pudéssemos dar continuidade”, contou ela durante encontro com a imprensa na última segunda-feira (13), em Sāo Paulo. A carioca também é responsável pelo gerenciamento de sua carreira.

Assunto tratado com discrição pela cantora e empresária até então, ele é exposto na série, mas ainda superficialmente neste primeiro momento. Nos episódios, ela explica o motivo da recaída, deixando claro que essa não é a primeira vez que passa por isso e fala sobre a recuperação.

As pessoas acham que porque somos famosos estamos sempre felizes. Falo um pouco sobre isso e mostro no que me apeguei para para voltar a caminhar normalmente. Essa foi a primeira vez que tive uma superqueda. Tem momentos na série que estou supertriste, chorando, mas preciso secar a maquiagem e sair rindo”, conta a cantora, que pensa em abordar o tema melhor em uma possível segunda temporada.

O seriado será exibido em 190 países e foi gravado enquanto Anitta conduzia o projeto internacional “Check Mate”, no qual lançou entre setembro e dezembro um clipe e uma música — “Will I See You”, em parceria com Poo Bear; “Is That For Me, em conjunto com o DJ sueco Alesso, ambas em inglês; ” Downtown” em espanhol com J. Balvin e a última, o funk “Vai Malandra”, gravado no fim de agosto no Morro do Vidigal.

Relacionamento

Mesmo após o término com Thiago, em setembro deste ano, cortá-lo das cenas não foi uma opção para cantora. “Não quis editar nada até para criar uma curiosidade para próxima temporada”, diz a empresária, que não dá ponto sem nó e lamenta só não ter caprichado mais no visual.

“Também não deixei de registrar nada por não estar glamourosa. Tem dias que estou bem destruída. Agora, que estou solteira até penso” : por que não me arrumei mais?”.

Vem aí

Foto: Francisco Cepeda/AgNews

Para a próxima temporada, Anitta pretende expor mais seu lado Larissa (nome verdadeiro da cantora), inclusive, as conversas pessoais com a família. “Eu e minha família falamos coisas muito pessoais. Falamos sobre fezes, por exemplo [risos]. Falamos de tudo um pouco. Vai do íntimo ao mais sério”, diz.

“Queria ter colocado mais das minhas partes Larissa. Separo muito bem a famosa da pessoal. Para gerir a minha empresa faço tudo pelo WhatsApp, aí ficava mandando aqueles áudios [broncas] e falava ‘bota isso na série, bota’. E falavam, ‘calma, tem que pensar que tem o 2, tem que pensar no próximo. O tempo inteiro tínhamos que fazer de uma forma interessante, mas que deixasse nas pessoas a vontade de ver um pouquinho mais”, conta.

Tenho 25 anos só, mas vida tem tanta coisa. O que queria muito conquistei, que era ser conhecida fora do país, diz a jurada da versão mexicana do “The Voice”

Ainda de acordo com a cantora, ela não censurou nenhuma cena sua que pudesse ou não ser filmada, mas se precaveu com a privacidade de pessoas próximas. “Como não estava solteira, tinha que ter um pouco mais de cuidado. Não era só a minha vida, mas de familiares, tios, amigos. Porque eu solteira, a câmera entra embaixo até do edredom para dar ‘bom dia’ [risos]. Sou desapegada de tudo. Não estabeleci limite nenhum. Não estava nem aí para o que estavam filmando. Abri as portas”, completa.