Anitta fala pela primeira vez sobre a CPI do Sertanejo: "Sempre soube que existia"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Anitta no Billboard Music Awards em maio deste ano; no mesmo mês, a cantora acabou envolvida em uma polêmica com artistas sertanejos (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)
Anitta no Billboard Music Awards em maio deste ano; no mesmo mês, a cantora acabou envolvida em uma polêmica com artistas sertanejos (Foto: Jordan Strauss/Invision/AP)

Estopim do que virou uma polêmica de grandes proporções, Anitta falou pela primeira vez sobre a CPI do Sertanejo, como está sendo chamada informalmente a investigações a shows de artistas sertanejos, como Zé Neto e Cristiano e Gusttavo Lima, bancados por dinheiro público.

Em entrevista ao "Fantástico", a cantora declarou que não imaginava que a tatuagem íntima, criticada por Zé Neto durante um show, acabaria resultando no caso e revelou que já recebeu propostas de desvio de verba, mas sempre as negou.

"A gente que é da música sempre soube que isso existia. Eu já recebi propostas. Meu irmão [Renan Machado, que atuava como empresário de Anitta] e eu. 'Você cobra tanto, aí eu vou e pego um pedaço'. Eu falei: 'não'", contou. "'Ele te dá mais um pouco se você declarar que recebeu tanto...' Meu querido, meu cachê é esse. Quer assim? Bem. Não quer? Então..."

Anitta ainda disse que costuma ter bastante cuidado com o Grupo Rodamoinho, empresa criada pela cantora em 2014 para gerir a sua carreira: "Como a gente criou a nossa empresa do nada, a gente tá sempre contratando auditoria, porque a gente tá sempre com medo de fazer algo [errado] por falta de conhecimento", esclareceu.

Entenda o caso

Durante um show em Sorriso, no Mato Grosso, no início de maio, Zé Neto proferiu um discurso que muitos fãs entenderam como pró-governo de Jair Bolsonaro (PL), e mencionou a tatuagem no ânus de Anitta. "Sorriso, Mato Grosso, um dos Estados que sustentou o Brasil durante a pandemia”, diz o cantor no vídeo nas redes sociais. Em 2018, a dupla chegou a fazer campanha para Bolsonaro.

“Nós somos artistas que não dependemos de Lei Rouanet. O nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no ‘t***’ pra mostrar se a gente tá bem ou não. A gente vem simplesmente aqui e canta", acrescentou ele. Dias depois, foi revelado que a dupla recebeu R$ 400 mil para realizar da prefeitura, oriundos de recursos públicos, para subir ao palco no dia.

Mas os comentários a Anitta não respingaram apenas em Zé Neto e Cristiano: Gusttavo Lima também recebeu dinheiro público para se apresentar em eventos. Ao ser questionado sobre os valores, Gusttavo Lima respondeu, em nota divulgada pela empresa que o representa, que "não cabe ao artista fiscalizar as contas públicas para saber qual a dotação orçamentária que o chefe do executivo está utilizando para custear a contratação."

O Ministério Público agora questiona a realização de shows de 29 prefeituras em 6 estados brasileiros, a maioria deles com a presença de sertanejos, como Gusttavo Lima, e também de outros artistas, como Wesley Safadão e Xand Avião.

Alguns dos eventos investigados já são de conhecimento do público, como o show de Gusttavo Lima na vaquejada de São Luiz (RR), pelo qual o sertanejo recebeu R$ 800 mil; e o aniversário da cidade de Magé, no Rio de Janeiro, com um cachê de R$ 1 milhão para o cantor.] Apesar de cancelado pela prefeitura, o show em Conceição de Mato Dentro, em Minas Gerais, também está sendo investigado, assim como o que acontecerá em Teolândia (BA), que foi autorizado após a gestão municipal recorrer da decisão de cancelamento determinada pelo Tribunal de Justiça da Bahia.

Há também uma Festa Junina em Mossoró (RN) com as participações de Wesley Safadão, com cachê de R$ 600 mil, e Xand Avião, com cachê de R$ 400 mil. O Ministério Público do estado entrou com uma ação civil pública pedindo o cancelamento dos dois shows.

Por fim, Mato Grosso é o estado com o maior número de cidades investigadas: são 24 ao todo, incluindo Sorriso, onde Zé Neto fez o comentário sobre Anitta, iniciando a polêmica. As demais são Gaúcha do Norte, Porto Alegre do Norte, Figueirópolis D’Oeste, Nortelândia, Salto do Céu, Alto Taquari, Novo São Joaquim, Nova Mutum, Sapezal, Canarana, Acorizal, Brasnorte, Água Boa, São José do Xingu, Vera, Barra do Garças, Juína, Querência, Bom Jesus do Araguaia, Santa Carmem, Matupá, Nova Canaã do Norte e Novo Horizonte do Norte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos