Anitta chama Jair Bolsonaro de “energúmeno” e critica: “O país se desfazendo”

Anitta é contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) (reprodução / instagram @anitta / Reuters)
Anitta é contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) (reprodução / instagram @anitta / Reuters)

Anitta não está no Brasil, mas nem por isso está desconexa com os acontecimentos de sua pátria mãe. Defensora desta terra desde os povos originários, a cantora criticou com veemência o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), no dia que ele participou de um desfile militar em Brasília.

“O país se desfazendo em preços altíssimos, desemprego e mortes... e o presidente gastando o tempo das pessoas com palhaçada de voto impresso.... alguém precisa mandar no fax ou no bip dele o que que está precisando de verdade no Brasil”, escreveu em sua conta no Twitter.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia também:

Crítica do governo atual, ela considera jocosa as ações do poder executivo. “É isso que o Bolsonaro tá fazendo cada dia mais e mais. Pegando a imagem do nosso país e jogando no esgoto. Nenhum outro país quer ter relações com o Brasil nesse momento. Estamos isolados do mundo. Tudo graças a esse energúmeno que só olha pro próprio umbigo”, esbravejou.

Anitta ainda explicou aos fãs os empecilhos de uma má relação internacional. “Não pensem vocês que ter boa relação com outros países só afeta a vida do rico. Não, não! Um país com boas relações internacionais consegue muitas aberturas pra oportunidades que são sentidas pela sociedade inteira. Do rico ao pobre”, apontou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ela ainda relatou o desfile de forças militares que o presidente esteve presente nesta terça-feira (9), na Explanada dos Ministérios, em meio à uma crise institucional entre os poderes mantenedores da república. “Até a diretora da minha escola cancelava o desfile do pelotão da bandeira quando tinha uma chuva ou um empecilho do tipo. O cara, com o país acabando, está fazendo desfile... Olha... Vou te falar, viu. Imaginando os presidentes dos outros países sentindo aquela vergonha alheia”, apontou.