Ana Maria "passa pano" para Arthur Aguiar e não problematiza sua passagem pelo "BBB"

Arthur Aguiar conversa com Ana Maria Braga (Reprodução Globoplay)
Arthur Aguiar conversa com Ana Maria Braga (Reprodução Globoplay)

Ana Maria Braga resolveu adotar uma postura só elogios em sua entrevista com Arthur Aguiar, vencedor do "BBB22". Embora em seu programa a apresentadora em geral mostre VTs contraditórios que mostrem deslizes e erros dos brothers durante suas trajetórias, além de mostrar diferentes pontos de vista sobre o que aconteceu na casa, isso não aconteceu com Arthur Aguiar. O brother foi elogiado a todo momento, e contou apenas a sua versão da história.

Ao falar sobre ter entrado no programa para jogar, Arthur explicou que foi calculista, mas sempre tomou cuidado de não dizer uma coisa e fazer outra. "Acho que fui muito transparente, eu não estava ali de férias, estava para jogar. Me chamaram para um jogo. Eu acredito mesmo que as minhas atitudes foram coerentes com as minhas falas. Fui transparente com meus amigos, falei quando fiquei chateado, quando não concordava, quando me senti sozinho. Todas as vezes que eu tentava jogar junto não dava certo, mas sempre deixei claro que ia seguir meu jogo", explicou.

O problema da entrevista não foram as declarações de Arthur ou o fato do brother ter defendido todas as atitudes que tomou. Como entrevistado, é natural que Arthur defenda seus posicionamentos e acredite estar certo no que fez dentro da casa. O problema é a falta de nuance: uma entrevista vira peça de propaganda quando o entrevistador não instiga, questiona e traz outros pontos de vista. Arthur teve algozes o suficiente dentro da casa para ter muitos motivos para ser questionado, e até mesmo o programa ao vivo de ontem (26) mostrou alguns pontos que poderiam ter sido explorados.

Ao mostrar alguns momentos constrangedores dos brothers na casa, um dos VTs da Globo mostrou que Arthur errou ao dizer que apertou o botão na prova de liderança e que não deveria ter sido desclassificado. "Eu tenho certeza que apertei, na moral, eu só vou acreditar quando ver. Eu acho que deu erro, alguma coisa da produção, que não acusou que eu apertei". O VT tirou a prova e mostrou que PA estava falando a verdade, e não Arthur. Esse é um dos muitos momentos de contradição que Ana Maria podia ter repercutido com Arthur, em vez de dar apenas espaço para os discursos monotemáticos do brother sobre justiça, coerência e superação.

Outro ponto que incomoda quem assiste ao programa é a balança que pende sempre para o mesmo lado: Ana Maria foi inclemente ao criticar Natália e Jessi, duas mulheres pretas. Natália chegou a ficar constrangida com a insistência de Ana Maria de falar de forma indiscreta sobre sua vida sexual, e foi vítima de "slutshaming" quando a apresentadora citou seu affair com Eliezer. Natália também precisou ouvir Ana Maria falar mal dela pelas costas durante o início do programa. Vyni foi vítima de um comentário homofóbico quando passou pelo programa, e Ana Maria não perdoou ao tirar sarro do brother por sua amizade estreita com Eli. Luciano, primeiro eliminado do reality, também foi ridicularizado por Ana Maria por sonhar em ser famoso.

Todos os brothers citados acima são pessoas pretas, que não tiveram descanso durante suas respectivas entrevistas. Por que só Arthur Aguiar, homem branco e padrão, escapou de ser criticado? Independentemente de quantos erros Arthur cometeu ou não, precisamos nos questionar sobre o motivo de comprarmos com tanta rapidez as narrativas de superação e vitória de pessoas normativas, e cobrar da TV aberta uma postura mais contundente na hora de falar sobre o reality de entretenimento mais visto do país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos