• Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Ana Maria Braga erra ao falar de escravidão e atriz responde: "A colonização foi vergonhosa"

Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Ana Maria Braga cometeu um erro polêmico ao definir a colonização do Brasil como um processo de "civilizatório". A colonização por Portugal e outros países resultou no genocídio da população indígena, e promoveu o início da escravidão em terras brasileiras. O erro de Ana Maria aconteceu quando a apresentadora mostrava um especial sobre 'Nos Tempos do Imperador', nova novela da TV Globo.

"A novela tem um pouco de ficção, mas relatou o que aconteceu nessa época. Aonde a gente estava sendo civilizado, tentando uma civilização, e um momento muito difícil com uma escravidão que durou um tempo maior aqui na América do Sul e fomos o último país a libertar os escravos", afirmou Ana Maria.

Leia também:

A nova trama, protagonizada por Selton Mello, mostra a história de Dom Pedro, imperador do Brasil, e o genocídio e escravização dos povos indígenas e da população negra sequestrada da África. Logo após a fala de Ana Maria, a atriz Dani Ornellas rebateu a apresentadora e ensinou o verdadeiro significado do processo de colonização no Brasil e na América do Sul.

"A história, para mim e para nós, povo preto, não existe manutenção da nossa cultura sem dança, sem canto. E quando nosso país viveu esses 300 anos do momento mais vergonhoso da nossa história, tentaram nos aculturar, nós sempre fomos civilizados. Só que não entendiam a nossa cultura de uma forma respeitosa", explicou a atriz, que interpreta Cândia na novela.

O que o processo de colonização e escravidão fez no Brasil foi um apagamento da cultura tradicional dos povos indígenas e pretos, proibindo a manifestação de religiões tradicionais dos povos originários. Os povos indígenas que não foram exterminados permaneceram em fuga, e cerca de 90% das línguas indígenas originais brasileiras foram extintas no processo. Já o povo negro recebeu uma teórica Lei Áurea em 1888, mas que não auxiliou de forma alguma a inserção da população na sociedade colonial e acabou sendo uma precursora do sistema prisional conhecido hoje. De acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça, cerca de 63,7% da população carcerária brasileira é formada por negros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos