ANÁLISE-Técnico japonês Moriyasu fica no centro das críticas em derrota para Costa Rica

Técnico da seleção japonesa, Hajime Moriyasu

Por Nick Mulvenney

DOHA (Reuters) - O treinador da seleção japonesa, Hajime Moriyasu, saudado como o cérebro tático após a vitória sobre a Alemanha na estreia, ficou no centro das críticas neste domingo depois que a Costa Rica conseguiu uma surpresa parecida ao derrotar o Japão por 1 x 0 para embolar o Grupo E da Copa do Mundo.

A cautela extrema de Moriyasu era justificada contra a Alemanha, mas manter o talento ofensivo à sua disposição no banco de reservas contra uma equipe da Costa Rica que perdera seu jogo de estreia no torneio por 7 x 0 para a Espanha pareceu um desperdício.

Jogadores como Takumi Minamino e Kaoru Mitoma tinham mostrado que poderiam levar força e vigor ao ataque japonês contra uma das melhores defesas do mundo, depois de uma série de substituições na vitória de 2 x 1 sobre a Alemanha.

Embora Moriyasu tenha feito cinco mudanças para a partida contra a Costa Rica em uma rotação do plantel antes do último jogo do grupo contra a Espanha, apenas Ritsu Doan dos reservas que entraram para transformar a partida contra a Alemanha foi titular neste domingo.

O Japão novamente começou com uma defesa de quatro, como havia feito na primeira hora contra a Alemanha, mudando para a defesa mais ousada de três homens apenas no intervalo.

Os "samurais azuis" pareceram sem ideias ao tentar derrubar uma seleção da Costa Rica determinada a evitar mais embaraços e que manteve 10 homens atrás da linha da bola durante boa parte do tempo.

Os jogadores japoneses passeavam com a bola em frente às camisas vermelhas, mas nunca pareciam encontrar o passe que permitisse a seus atacantes uma visão clara do gol.

Junya Ito e Mitoma finalmente entraram em campo logo após uma hora de jogo para provocar uma melhoria marginal, mas foi só aos 37 minutos do segundo tempo que Minamino se juntou à briga por um gol.

Mas então o Japão, apesar de todo seu domínio de posse de bola e território, já estava um gol atrás no placar após um erro defensivo que deu a Keysher Fuller um vislumbre do gol, que ele aproveitou com categoria.

Foi o primeiro chute a gol da Costa Rica em toda a partida, mas que, no final das contas, foi mais do que o Japão conseguiu durante os 90 minutos.

Moriyasu não se desculpou pela insípida exibição de seu time, apenas alguns dias após uma de suas maiores vitórias.

"Não tenho arrependimentos, para ser honesto", disse ele aos repórteres. "O resultado foi uma vergonha, mas não significa que o que fizemos foi errado. Eu decidi as táticas. Então o resultado não deu certo, mas nós tentamos".