Update privacy choices
Vida E Estilo

Exercícios aeróbicos ajudam mais o metabolismo do que os de força

Getty Images

No mundo dos exercícios, nenhuma discussão é mais polêmica do que a disputa entre exercícios aeróbicos e o treinamento de força.

Ainda que alguns aficionados por malhação suportem felizes um trabalho duro na esteira por horas, outros ignoram qualquer exercício cardiovascular, gastando seu tempo de malhação levantando peso e “ficando monstro”.

Sobre qual o melhor treinamento, não existe um vencedor claro, uma vez que isso depende fortemente dos seus objetivos para malhar e das suas preferências básicas.

No entanto, apesar dos clamores de que o treinamento de força queima mais calorias do que seu companheiro aeróbico, um novo estudo descobriu que o treino aeróbico pode oferecer mais benefícios, em termos de metabolismo.

Pesquisadores da Universidade de Copenhagen examinaram as diferenças entre os níveis de produção de hormônios depois que um grupo de participantes fez programas envolvendo os dois tipos de treino.

Publicado no Diário de Ideias de Investigação Clínica, o estudo agregou 10 homens jovens e saudáveis, que foram divididos em dois grupos, realizando treinos de força ou aeróbica, uma vez por semana.

Um grupo fez exercícios aeróbicos em uma bicicleta, enquanto o outro fazia levantamento de peso com cinco exercícios diferentes, cada um repetido 10 vezes, de modo a trabalhar os principais grupos musculares como peito, bíceps, tríceps e quadríceps.

Após finalizada a malhação, que durava cerca de 60 minutos, foram recolhidas amostras de sangue durante um período de quatro horas, para medir os níveis de ácido lático, bile, açúcar no sangue e hormônios no corpo dos participantes.

A análise mostrou que aqueles que se exercitaram na bicicleta mostraram um aumento significativo na produção do hormônio FGF21, que garante vários efeitos positivos no metabolismo de um indivíduo, processo no qual o corpo transforma comida em energia.

Melhorar a taxa metabólica pode ser benéfico pois, quanto maior seu metabolismo, mais calorias você queima descansado, o que pode promover a perda de peso.

Aqueles que pedalaram, tiveram uma produção de FGF21 três vezes maior do que o outro grupo, que não demonstrou nenhum aumento na produção de nenhum hormônio em particular.

“É claro que é muito empolgante para nós, pesquisadores, ver como diferentes formas de atividades físicas podem realmente afetar o corpo de maneiras diferentes,” comenta o coautor Christoffer Clemmensen, professor associado do Centro de Fundação de Novo Nordisk para Pesquisa Metabólica Básica.

“Há muito tempo já são conhecidos os efeitos que as várias formas de treinamento têm sobre os hormônios mais populares, como a adrenalina e a insulina, mas o fato de que o exercício aeróbico e o treino de força afetam os hormônios FGF de maneira diferente, é novidade para nós,” completou ele.

Clemmensen explicou que os resultados podem ser significativos em relação à pesquisa atual sobre o potencial que o FGF21 tem para ser usado como droga no combate a diabetes, obesidade e outras desordens metabólicas.

“O fato de nós sermos capazes de aumentar a produção sozinhos, através do treinamento, é muito interessante”, concluiu ele.

Olivia Petter

Reações

Leia também