Update privacy choices
Vida E Estilo

Especialistas dizem que é melhor usar mel em vez de antibióticos para tratar tosse

Getty Images/iStockphoto

Utilizar mel e outros medicamentos que não precisam de receita são opções melhores do que antibióticos no tratamento da tosse, segundo os novos guias de saúde oficiais divulgados hoje.

Você pode achar que a primeira coisa a se fazer quando a tosse chegar é procurar um médico para conseguir uma receita de antibiótico.

No entanto, os novos guias de saúde dizem que fazer isso pode não ser tão eficiente quanto você imagina.

No novo guia, publicado pelo Instituto nacional de Saúde e Bem Estar (NICE) e pela Saúde Pública da Inglaterra (PHE), os especialistas enfatizam o fato de que a tosse pode ser facilmente tratada, em poucas semanas, sem a necessidade do uso de um antibiótico prescrito por um médico.

“Se alguém está com o nariz escorrendo, tosse e garganta inflamada, é esperado que os sintomas passem depois de duas ou três semanas e não são necessários antibióticos”, diz a Dra. Tessa Lewis, médica e integrante do grupo de guia de prescrição antimicróbica do NICE.

“As pessoas podem verificar seus sintomas em uma consulta com um clínico geral ou pedir aconselhamento a um farmacêutico”.

A Dra. Tessa diz que se os sintomas da tosse piorarem e a pessoa começar a sentir falta de ar ou passar mal, um médico deverá ser consultado.


Além disso, se o indivíduo desenvolver uma tosse aguda ou se ele possui uma condição pré-existente, como alguma doença pulmonar ou fibrose cística, então é aconselhável procurar um médico o quanto antes.

Alguns medicamentos ou méis que podem ser comprados sem receita costumam aliviar a tosse devido a vários ingredientes medicinais específicos em sua composição.

De acordo com o guia do NICE, o mel e outros remédios para tosse possuem pelargonium, dextrometorfano e guaifenesina, fármacos que comprovadamente ajudam no tratamento da tosse.

A Dra. Susan Hopkins, Consultora Epidemiológica de Saúde e Doenças Infecciosas e Vice Diretora de Resistência antimicrobiana na PHE, alertou sobre o uso excessivo de antibióticos, já que isso pode levar a problemas de saúde no futuro.

“A resistência aos antibióticos é um grande problema e precisamos agir para reduzir o uso de antibióticos”, diz ela.

“Tomar antibióticos sem necessidade faz com que você e a sua família corram o risco de desenvolver infecções que não podem ser tratadas facilmente.”

A Dra. Susan também pede aos médicos que não prescrevam antibióticos quando não forem explicitamente necessários.


No ano passado, o professor Dame Sally Davies, Chefe do departamento médico da Inglaterra, fez um pedido aos líderes globais para que eles discutissem o tópico de resistência aos antibióticos, alertando que isso poderia levar ao “fim da medicina moderna”.

“Nós realmente vamos enfrentar, caso não agirmos agora, um terrível apocalipse pós-antibiótico”, disse ela à Associação de Imprensa.

Dr. Oliver Bevington, um pesquisador sênior em pediatria no Hospital Infantil de Southampton, recomendou que os pais tratem as tosses e resfriados de seus filhos com mel e limão, em vez de medicamentos, visto que eles podem dar uma “overdose”, sem querer, para as crianças.

Sabrina Barr

Reações

Leia também