Amizade com ex: pode ou não pode?

·3 min de leitura
Amizade com ex: pode ou não pode? (Foto: Reprodução/ Getty Creative)
Amizade com ex: pode ou não pode? (Foto: Reprodução/ Getty Creative)

Términos de relacionamento sempre são difíceis, a ideia de nunca mais ver uma pessoa que você passou um período e dividiu a vida pode ser um tanto quanto angustiante, após o fim, surge a possibilidade da amizade, mas será que é uma opção saudável?

Existe uma questão sobre relações que chegam ao fim que é um desafio para muitas pessoas: lidar com o luto da relação que terminou. Aquele processo em que a dor da separação bate forte e sua mente começa a trazer apenas as memórias boas da relação, como se tentasse se agarrar a alguma coisa que pudesse justificar o retorno, se a relação chegou ao fim, tem o seu motivo.

Atualmente somos inimigos do fim das relações, queremos que as relações continuem habitando nossos corações, os términos não elaborados se acumulam, criando uma sensação de cansaço e muitas vezes se transformando em trauma. Seja engatando relações uma atrás da outra, ou ficando com várias pessoas para tentar apagar as relações anteriores, seguimos acumulando bagagens que nos travam diante da nossa vida amorosa.

A amizade com o/a ex é um ponto complexo, pode ser uma âncora, como pode ser simplesmente o resultado de uma relação superada, mas jamais deve ser a sequência de um término. Muitas pessoas me perguntam: “João, como fazer a dor do término passar mais rápido?” e eu tenho a resposta pronta: apague tudo que te lembre da sua relação anterior e se afaste do/da ex. 

Amizade com ex: pode ou não pode? (Foto: Reprodução/ Getty Creative)
Amizade com ex: pode ou não pode? (Foto: Reprodução/ Getty Creative)

O afastamento é essencial para a recuperação, principalmente em casos em que a relação não terminou bem, não há como manter contato com alguém que te fez mal. E quando não fez, como seguir em frente se o término parece ter sido apenas um combinado? Estamos solteiros mas continuamos dividindo a vida? Isso não é possível.

O afastamento é essencial para o processo de recuperação e superação da relação, tentar manter a pessoa próxima a você só vai atrasar a elaboração do luto, vai te dar a falsa sensação de alívio, mas que só estará amortecendo o sentimento inevitável. Está tudo bem se sentir triste depois do fim, a tristeza, em níveis normais, é um sentimento necessário que nos ensina a viver o que é real, e nesse momento, nos refazermos, a vida é o eterno ciclo do prazer e desprazer, saber lidar com isso é que vai definir como você vai levar a sua vida.

Há casos, em casamentos com filhos, que o contato precisa acontecer e o afastamento se dá de forma geográfica, e o término se torna mais complicado, mas ainda assim se pode estabelecer limites. 

Está tudo bem ter amizade com seu ex, depois que você se entende capaz de ter essa relação e o outro também. Mas não force uma amizade para amortecer a dor, ou para sair como maduro para o outro. Maturidade de verdade é saber o que você é capaz de fazer diante das situações e assumir o seu desejo, amizade não pode ser sinônimo de negação, e sim de uma potente relação que pode acontecer a partir de quanto essas duas pessoas estão bem resolvidas e dispostas a isso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos