Amber Heard volta a falar sobre agressões que sofreu durante casamento com Johnny Depp

Amber Heard e Johnny Depp contracenando em ‘Diário de um Jornalista Bêbado’ (2011) (Imagem: divulgação FilmDistrict)

Neste mês de outubro completa-se um ano do surgimento do movimento #MeToo, que denunciou uma série de abusos e violências físicas e verbais sofridas por mulheres na indústria do cinema. Para marcar a data, a Porter Magazine organizou um evento onde a coragem de quem fez as denúncias foi celebrada.

Uma das celebridades presentes na cerimônia foi a atriz Amber Heard, ex-esposa de Johnny Depp, que se separou do astro em 2016, alegando ter sido vítima de violência. Em seu discurso, ela releu a carta aberta que escreveu durante o processo de divórcio. “A Porter Magazine publicou esta carta quando ainda era muito dificíl, e por isso eu me sinto honrada de dividir esse espaço com tantas mulheres corajosas e poderosas”, disse, antes de ler seu texto.

“Vamos começar com a verdade, nua e crua. Quando uma mulher fala sobre seu sofrimento em público, sobre injustiças, ela será recebida com hostilidade, ceticismo e vergonha, ao invés de ajuda, respeito e suporte. Seus motivos serão questionados e sua verdade será ignorada. Não importa o quão terrível ou aterrorizante seja sobreviver a um trauma, pode ser muito mais fácil em comparação com o que vem depois”, relembrou.

“Dá para imaginar porque tantas de nós sentimos que temos que ficar quietas ou tentar manter nossa própria segurança para não perder a dignidade. O medo de ser ostracizada pela sociedade é uma das perspectivas mais assustadoras que existe. Mas eu estou aqui para dizer que não há necessidade de fazer essa troca horrível. Não é fácil defender a si mesma e a sua verdade sozinha, mas nosso mundo está mudando. Do lado umas das outras como mulheres, nós compreendemos um exército de vozes e não podemos mais aceitar o silêncio.”

Para não levar o caso a julgamento, Amber Heard fez um acordo financeiro com a equipe de Depp. A atriz destinou todo o dinheiro fruto deste acordo para instituições que combatem e ajudam vítimas de violência doméstica.