Alunos estrangeiros com aulas online terão de sair dos Estados Unidos

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
U.S. President Donald Trump refers to amounts of temperature change as he announces his decision that the United States will withdraw from the landmark Paris Climate Agreement, in the Rose Garden of the White House in Washington, U.S., June 1, 2017. REUTERS/Kevin Lamarque  TPX IMAGES OF THE DAY
Alunos que tiverem aulas 100% online e não forem norte-americanos terão de deixar os Estados Unidos (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira, 6, uma mudança temporária para estudantes estrangeiros que estão no país. Todos que tiverem aulas 100% online terão de deixar os Estados Unidos.

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Segundo nota, estudantes têm duas opções. Ou deixam o país ou devem se transferir para escolas cujas atividades estão acontecendo presencialmente. A decisão foi divulgada no mesmo dia em que Harvard decidiu que as aulas serão 100% online no próximo semestre.

Os Estados Unidos passam por um aumento do número de casos de coronavírus. Ainda assim, nesta segunda, o presidente Donald Trump tuitou que as escolas devem abrir no outono, ou seja, no reinício do ano letivo no país, que acontecerá em setembro.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Ainda assim, algumas universidades vão contra a opinião do presidente e decidiram por reabrir apenas em 2021.

Leia também

Entre os problemas causados por essa decisão está o fato de que estudantes estrangeiros podem ser de países com acesso precário à internet, além do fuso horário, que pode prejudicar o acesso às aulas. Outra questão é que há países que não permitem entrada de pessoas que estavam nos Estados Unidos, devido ao alto número de casos de coronavírus no país.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.