"Fiz a escolha certa em não ficar segmentado na cena eletrônica", diz Alok


Foto: Roberto Filho/Brazil News

Alok agitou o Palco Mundo no início da noite desta sexta-feira (27), primeiro dia do Rock in Rio 2019. Antes de começar sua apresentação de uma hora, o DJ falou brevemente em entrevista ao Multishow sobre a carreira e as escolhas que fez.

"Estar aqui simboliza muito mais que tocar no maior festival do Brasil, significa que fiz a escolha certa em não ficar segmentado na cena eletrônica", avalia, explicando que o que as pessoas veriam seria diferente de seus shows pelo mundo.


"Aqui exige um pouco mais de criatividade, inovação. As pessoas não querem ouvir mais do mesmo, querem que a gente saia da zona de conforto. Hoje é a primeira vez desse show, nunca fiz antes, até eu estou querendo saber como vai ser", vibra.

Alok comentou também sua parceria com Iro, que entrou no palco para divulgar a parceria dos dois, "Table For 2". Ele descobriu o cantor no metrô de Nova York. "Vejo pessoas dizendo 'o Iro ganhou na loteria por você ter encontrado ele', mas eu que ganhei por ter achado um cara como ele", elogia.

Quem o vê bonito, bem sucedido e prestes a ser pai - sua mulher, Romana Novais, espera o primeiro filho do casal - não imagina que o goiano sofria de depressão. “Falava que tinha depressão e ninguém entendia. Era uma coisa muito recente, as pessoas achavam que era vitimismo. Não conseguia explicar. É como explicar o gosto do amargo para alguém que nunca provou. Só quem passa sente”, contou Alok, ao participar na quinta-feira (26) do “Encontro com Fátima Bernardes”.