Alinne Moraes fala de relação tóxica com personagem de Cauã Reymond: "Realidade distorcida"

·2 min de leitura
Atriz defendeu personagem complexa (Foto: Reprodução/Globo)
Atriz defendeu personagem complexa (Foto: Reprodução/Globo)

É complicada a relação de Bárbara (Alinne Moraes) e Christian/Renato (Cauã Reymond) em “Um Lugar ao Sol”. A moça sabe que tem algo estranho com o marido, mas nem faz ideia que ele foi morto e substituído pelo irmão gêmeo. A cada episódio, a mentira vira uma bola de neve e o drama entre o casal só piora

"A Bárbara acha que ele realmente continua sendo o Renato. A realidade dela é muito distorcida sobre muitas coisas, até sobre ela mesma", opina Alinne Moraes, que sente pena da personagem. "Ela é tão carente, sem autoestima. Ela diz que não é boa para nada, que não tem talento nenhum. Tudo que ela quer é ter uma relação, ser amada", completa a atriz.

A personagem é tão intensa e complexa que Alinne Moraes arrisca dizer que está entre as melhores que já interpretou na teledramaturgia. Mesmo Bárbara tendo comportamentos duvidosos e politicamente incorretos, a atriz consegue compreender cada camada dela. 

"Ela realmente acredita que o Renato é o homem da vida dela. Ela é cega. Quando tem a troca, ela tem o que sempre quis. O sonho dela era casar, ter filhos, ser feliz. Ela sabe que algo está errado, mas é tudo tão 'perfeito' que ela precisa acreditar e vai se enganando. Ela começa a duvidar dos questionamentos que tem do marido, da própria sanidade, vai ficando cada vez mais frágil", comenta.

Bárbara sonhava em casar com Renato (Foto: Divulgação/Globo)
Bárbara sonhava em casar com Renato (Foto: Divulgação/Globo)

Para compor a personagem, Alinne diz que tentou fugir de todos os clichês. Bárbara, inclusive, tem se apresentado como mocinha e vilã no decorrer dos episódios. "Ela vai se moldando, transformando, entendendo o que está acontecendo. Ela é um pouco de tudo. Comecei de um jeito, no meio estava outra. Quando você acha que ela está evoluindo, ela volta, prepara armadilhas para ela mesma cair. É frágil, humana, muito delicada", define.

Com tantos personagens no currículo, Alinne diz que ser mocinha é mais difícil que interpretar uma vilã. "É mais delicado, precisa andar na linha. Com a vilã tudo é possível, até um erro e uma deslizada na minha atuação tá valendo. Mas não vejo a Bárbara como vilã. Ela tem atitudes equivocadas, é um pouco bipolar. Ela precisa da verdade. A verdade ajudaria ela a se encontrar", defende.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos