Os alimentos que aumentam (e diminuem) a libido

Comer os alimentos certos pode melhorar a sua vida sexual. (Getty Images)

Se você já está em um relacionamento há algum tempo, sabe que em alguns casos vale tudo para dar aquela apimentada na relação, né? Então aqui vai uma dica de ouro: pequenas mudanças na dieta podem fazer uma grande diferença na libido.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Dizem que o infame conquistador Casanova comia 50 ostras no café da manhã, e muitos acreditam que marisco seja um excelente afrodisíaco. E, embora o álcool ajude a acabar com a inibição, uma fala de Macbeth alerta que ele “provoca o desejo, mas prejudica o desempenho”.

Leia também

Assim, nada mais justo do que selecionar os alimentos que podem aumentar (e te mostrar quais podem diminuir) a libido, né? Dá uma olhada:

Ostras

Parece que Casanova estava certo.: Acredita-se que estes mariscos sejam associados à libido por causa de Afrodite, a deusa grega do amor, em sua imagem surgindo do mar. O termo ‘afrodisíaco’ vem do nome ‘Afrodite’.

As ostras são ricas em zinco, mineral com um importante papel na produção de testosterona e espermatozoides. “Uma das fontes mais ricas em zinco são as ostras, que são consideradas afrodisíacas há séculos e são associadas a jantares românticos a dois – uma ocasião que, psicologicamente, pode ajudar a abrir o caminho para uma noite de paixão,” disse Rob Hobson, nutricionista e diretor de nutrição da Healthspan, ao Yahoo UK.

“Nem todos gostam de ostras e este não é um alimento fácil de encontrar nos supermercados locais, mas não se preocupe, pois o que realmente conta para aumentar a libido é o zinco. Embora estas outras opções não sejam tão sensuais, lagosta, carne vermelha, oleaginosas, sementes e lentilhas também são ótimas fontes de zinco”.

As ostras costumam ser consideradas um excelente afrodisíaco. (Getty Images)

Abacate

Há relatos de que os astecas consideram os abacates excitantes, por causa da forma como eles ficam sugestivamente pendurados em pares, nas árvores.“Quando você pensa em abacate, pode imaginá-lo servido amassado, com torradas, mas há um possível benefício nutricional relacionado às suas supostas propriedades de aumento de libido,” disse Rosie Long, nutricionista, ao Yahoo UK.

O abacate contém vitamina B6, que ajuda a regular nossa atividade hormonal: “Além disso, ele fornece potássio, um nutriente fundamental para manter a pressão arterial normal”. A banana também é rica em vitamina B6 e potássio.

Frutas

Um estudo de 2016 da University of Anglia descobriu que os homens que comem mais alimentos ricos em antioxidantes chamados de flavonoides, eram menos propensos a desenvolver disfunção erétil.

Analisando especificamente as frutas, uma “grande fonte” desses compostos, os cientistas descobriram que uma “ingestão mais alta” reduz o risco em 14%. “Alimentos ricos em flavonoides incluem frutas silvestres, frutas cítricas, uvas e maçãs,” explica Hobson.

Outras fontes interessantes são o cacau em pó, chá, pimentão vermelho, couve e brócolis.

Ginseng

Este conhecido remédio herbal costuma ser usado na medicina chinesa para combater a baixa libido, e as pesquisas apoiam cada vez mais sua prescrição. Um estudo de 2008 realizado pelo Korea Food Research Institute, na Coreia do Sul, encontrou “evidências sugestivas da eficácia do ginseng vermelho no tratamento da disfunção erétil”.

Entretanto, os cientistas acrescentaram que a qualidade dos artigos analisados foi “baixa demais para chegar a conclusões definitivas”.

Um estudo posterior realizado pela Chonnam National University na Coreia do Sul descobriu que o ginseng vermelho melhora “a excitação sexual em mulheres na menopausa”.

O ginseng costuma ser receitado para tratar a baixa libido na medicina chinesa. (Getty Images)

Chocolate

Dizem que os astecas tratavam o chocolate como um afrodisíaco poderoso, mas a existência de dados apoiando as suas propriedades benéficas para a libido é limitada.

Ainda assim, comer um quadradinho ou dois, pode ajudá-lo a entrar no clima.“O chocolate contém um composto químico chamado teobromina. Acredita-se que ele possa desencadear a liberação de endorfinas ‘do bem-estar’, da mesma forma que o sexo,” disse Juliette Kellow, nutricionista, ao Yahoo UK.

“Além disso, ele contém feniletilamina, conhecido como o ‘hormônio da paixão’ porque seus níveis tendem a ser mais altos quando estamos apaixonados”.

Amêndoas

Os romanos antigos acreditavam que as amêndoas eram um símbolo de fertilidade. No século XIV, os italianos começaram a oferecer cinco amêndoas cobertas de açúcar como lembrancinhas em casamentos. Cada uma delas simbolizava um atributo para um casamento feliz: saúde, riqueza, felicidade, fertilidade e longevidade.

“As amêndoas contêm zinco, que é importante para a nossa fertilidade, além de folato, vitamina E e gorduras saudáveis” disse Kellow.

Em 2018, cientistas espanhóis descobriram que homens que consumiram 60g de oleaginosas por dia, por 14 semanas, tiveram uma melhora na contagem, mobilidade e “vitalidade” de seus espermatozoides.

Alimentos que prejudicam a libido

Álcool

Parece que Shakespeare estava certo quando escreveu Macbeth: “Embora tomar um drinque possa reduzir a inibição e aumentar a autoconfiança, seus efeitos nem sempre são positivos quando se trata do sexo,” disse Hobson.

“O álcool aumenta os níveis de testosterona nas mulheres, e embora ela tenha um papel no desejo sexual, uma quantidade elevada demais pode ter um efeito psicologicamente negativo, além de piorar a ‘resposta genital’ e a excitação física.

“Nos homens, o consumo excessivo de álcool pode dificultar a ereção. O álcool diminui o fluxo sanguíneo para o pênis, suprime o sistema nervoso central e aumenta os níveis de um hormônio chamado angiotensina, aspectos que contribuem para a disfunção erétil”.

Kellow chegou a dizer que o álcool pode ser o seu “pior inimigo no que diz respeito ao sexo”.

“Beber muito em um jantar romântico pode fazer com que você acabe indo dormir cedo, e o consumo excessivo e regular de álcool ao longo do tempo pode reduzir significativamente a sua libido,” disse ela.

O álcool pode afastar as suas inibições, mas também pode prejudicar o seu desempenho entre os lençóis. (Getty Images)

Sal

O excesso de sal aumenta a pressão arterial, o que danifica suas artérias e leva ao seu endurecimento.

“Como consequência, há uma restrição do fluxo sanguíneo para o pênis, o que pode causar disfunção erétil em homens,” disse Hobson.

Alimentos processados gordurosos

Todos sabemos que comer junk food em excesso favorece o ganho de peso.O sobrepeso está associado a diabetes tipo 2, uma das principais causas de disfunção erétil. “Manter uma dieta pouco saudável pode ter um impacto mais importante na sua saúde do que você imagina,” disse Long.

E continua: “Na verdade, uma dieta rica em gorduras saturadas prejudiciais foi associada a uma interferência na saúde reprodutiva e a espermatozoides de qualidade inferior. O consumo excessivo de gorduras saturadas também aumenta o risco de desenvolver doenças cardíacas, o que acaba impactando a libido”.

Alexandra Thompson