Alexandra Gurgel: “96% das mulheres estão infelizes com o corpo”

Lucas Pasin
·3 minuto de leitura
Alexandra Gurgel (Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos)
Alexandra Gurgel (Foto: Reprodução/Instagram @alexandrismos)

Já se olhou no espelho e não gostou nada do que viu? Acredite, 96% das mulheres do mundo estão na mesma situação e infelizes com o corpo. A pesquisa, um dado de 2011, foi levantada por Alexandra Gurgel, fundadora do movimento Corpo Livre, em uma conversa exclusiva com o Yahoo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

No entanto, a jornalista e influencer, que já passou por dietas malucas e cirurgias plásticas em busca do corpo perfeito, destaca: “Sei que muita gente acha que tem algo errado em seu corpo. Eu, com 9 anos de idade, descobri que eu era gorda e que isso era feio, e que deveria fazer algo para que meu corpo fosse atraente. O bonito era ser magro. Mas depois de muitas loucuras e de uma luta para ter o corpo perfeito, li o livro 'O Mito da Beleza', de Naomi Wolf, e fui entendendo como as 'imagens de beleza feminina' foram criadas para controlar a gente. Aquilo me deu tanta raiva. Foi quando minha ficha caiu. Se estamos infelizes é sinal que o patriarcado está funcionando"

Leia também

Alexandra conta mais sobre sua ‘libertação’ dos padrões e de como fundou o Movimento Corpo Livre, atualmente com mais de 270 mil seguidores no Instagram.

“Criei um canal para falar desse 'mito da beleza'. Na época me chamavam de louca. 'Como é que você está falando disso? Apologia a obesidade'. O Movimento Corpo Livre surge neste momento que é importante entendermos que 96% das mulheres do mundo estão insatisfeitas com o próprio corpo. Temos um dado do Brasil, acho que de 2013, que diz que 92% das mulheres brasileiras estão infelizes com o próprio corpo. E aí eu pergunto: quem está satisfeito?", questiona.

A ativista ressalta que o Corpo Livre vem como um conforto não só para gordos, mas para todos os corpos: “Existem mulheres magras que estão nessa porcentagem. Muitas mulheres magras, ou com corpos padrões, também estão insatisfeitas. E é essa insatisfação que fazer o mercado girar. No mundo que vivemos, se você não tem o biotipo magro já é meio caminho andado para o inferno. Para você ter um corpo escultural a sua vida tem que ser o seu corpo, o seu dinheiro tem que ser o seu corpo, e você tem que trabalhar com o seu corpo.”

Ver essa foto no Instagram

Quem viu o brilho no olho comenta um ☀️ #CorpoLivre

Uma publicação compartilhada por Alexandra Gurgel (Xanda) (@alexandrismos) em

Gordofobia é mimimi?

O que Alexandra escuta quase que diariamente nas redes sociais é a famosa frase ‘gordofobia é mimimi’. Para os que dizem isso, ela tem a resposta na ponta da língua: “Falam que o mundo está chato, cheio de ‘mimimi’. Sabe o que eu digo? O mundo está chato para nós faz muito tempo. E só agora a gente descobriu que tem voz, que pode ter direitos, que pode ter acesso. Contratem pessoas gordas e lembrem que elas existem.”

Confira na íntegra o bate-papo com Alexandra Gurgel no Yahoo Vida e Estilo: