Alerta: Certos alimentos típicos das festas de fim de ano podem causar enxaqueca

Se você saiu de uma confraternização de fim de ano com uma terrível enxaqueca, saiba que ter passado horas com a sua família provavelmente não é a única causa por trás dela. O queijo brie servido pela sua mãe e a barra de chocolate trazida pela sua melhor amiga podem provocar dores de cabeça, e estão entre os alimentos mais comuns nas celebrações de fim de ano que agem como gatilhos para uma enxaqueca.

Queijos envelhecidos como o cheddar e o parmesão, oleaginosas como nozes e pecãs, além do chocolate, são desencadeantes conhecidos da enxaqueca que contêm tiramina, um composto químico natural que pode causar dor. Outros exemplos são alimentos processados – principalmente aqueles que contêm nitratos, encontrados em carnes curadas como o bacon e embutidos; glutamato monossódico, que costuma ser associado à comida chinesa, mas também está presente em diversos petiscos salgados, sopas prontas e caldos de legumes industrializados; e corantes alimentares artificiais, encontrados em molhos prontos para saladas, xarope de bordo (maple syrup) e biscoitos.

“Embora seja tentador se deliciar com estes alimentos, eles podem provocar alterações nos nossos hormônios e neurotransmissores,” diz a neurologista Trupti Gokani, fundadora do Zira Mind & Body Center em Glenview, Illinois, nos Estados Unidos. Ainda que os médicos não saibam ao certo como estes alimentos causam as dores de cabeça, acredita-se que mudanças repentinas na química do corpo e do cérebro ativam a resposta à dor naqueles que costumam ter enxaquecas.

Alimentos típicos das festas de fim de ano, como queijos envelhecidos e vinho tinto, podem causar enxaquecas. (Foto: Getty Images)

Outros alimentos que costumam estar presentes nas comemorações e podem desencadear enxaquecas são pratos especialmente ricos em açúcares, glúten, ovos e laticínios. “Na minha prática, foi possível comprovar que estes alimentos são intoleráveis para muitas pessoas que sofrem de enxaquecas,” diz Gokani. Além disso, ela acrescenta que alimentos muito gelados, como o sorvete, podem estimular o cérebro de uma forma indesejada, enquanto receitas muito quentes e apimentadas podem aumentar o refluxo e a produção de peptídeos inflamatórios, reações que costumam ser prejudiciais paos indivíduos suscetíveis às enxaquecas.

Mesmo entre os que sofrem frequentemente deste mal, algumas pessoas conseguem comer uma quantidade pequena destes alimentos, geralmente durante o dia, sem maiores problemas, mas ingeri-los à noite, ou em excesso, acaba sobrecarregando o fígado. “Nosso fígado livra o nosso corpo da inflamação e das toxinas,” diz Gokani. “Quando o fígado não consegue cumprir seu papel, essas toxinas se acumulam no intestino, levando a um processo digestivo mais fraco e lento conhecido como gastroparesia, que está diretamente associado à enxaqueca e à náusea acompanhada da dor,” diz Gokani.

Afinal, há alguma coisa que você pode comer nas confraternizações de fim de ano? Sua melhor aposta é simplificar o que coloca no seu prato. “A melhor estratégia é consumir alimentos não processados, como frutas frescas, vegetais ou proteínas simples, como peixe e frango,” diz Gokani.

Como os aperitivos podem ser um verdadeiro campo minado de gatilhos da enxaqueca – como queijos, carnes curadas, glúten e vinho – comer algo antes de sair de casa ajuda a resistir à tentação de comer o que não é benéfico para o seu cérebro, e talvez você só precise pular os petiscos servidos. Tomar uma sopa, comer uma barra de proteína ou ingerir um ou dois ovos cozidos em casa (se os ovos não forem gatilhos no seu caso; algumas pessoas não têm problema com eles, outras sim) pode ajudar a fazer escolhas melhores quando você estiver na festa.

No caso das sobremesas, uma boa ideia é levar a sua própria sobremesa “segura” e oferecê-la ao anfitrião como contribuição para a festa. Assim, você terá uma opção que certamente não causará dor. Faça uma busca em sites de receitas paleo livres de oleaginosas; pense em versões de sobremesas sem glúten e livres de açúcares refinados, como biscoitos de aveia, cupcakes, cinnamon rolls (bolinhos de canela) e tortas. Tâmaras, purê de maçã e bananas são bons substitutos para os adoçantes e o chocolate.

As bebidas também merecem atenção, já que o álcool – especialmente o vinho tinto, que é rico em sulfitos – está fortemente associado às enxaquecas. Os adoçantes artificiais, como o aspartame, presente nos refrigerantes, e o fato de que nunca sabemos o que está misturado nos drinques preparados nas festas da firma e reuniões familiares, pode fazer com que seja impossível apreciar uma bebida. A sidra de maçã é rica demais em taninos (encontrados na casca das maçãs vermelhas) para aqueles que sofrem com as enxaquecas – e o chocolate quente não costuma ser uma boa opção.

Gokani sugere misturar água gaseificada com limão fresco ou suco de romã para criar uma opção suave para o cérebro. Muitos dos que têm enxaquecas conseguem tolerar uma taça de vinho branco, como Pinot Grigio, Riesling or Chardonnay. A hidratação também é fundamental para prevenir estas dores de cabeça tão intensas. “Se você vai beber, lembre-se de acompanhar seus drinques com um copo de água,” sugere Gokani.

Se quiser uma xícara de algo quente para apreciar com a sobremesa, experimente um chá de ervas, como camomila ou hortelã, que ajudam a aliviar os efeitos da enxaqueca no cérebro. Uma bebida quente feita com água, cravo, limão, mel e canela em pau pode ser outra opção que ajudará a manter as celebrações agradáveis e livres de dores.

Grace Gold