Alec Baldwin e outros podem ser indiciados em outubro por tragédia em gravação de 'Rust', diz promotora

Imagem de arquivo: vigília para a diretora de fotografia Halyna Hutchins, que morreu após ser baleada por Alec Baldwin no set de filmagem de "Rust"

Por Andrew Hay

(Reuters) - O ator norte-americano Alec Baldwin está entre as quatro pessoas que podem enfrentar acusações em outubro pelo assassinato da diretora de fotografia Halyna Hutchins durante as filmagens do faroeste "Rust" em 2021, disse uma promotora do Estado do Novo México.

O relatório final da polícia sobre o tiroteio perto da cidade de Santa Fé, no Novo México, é esperado para o próximo mês, quando os promotores apresentarão acusações criminais, se elas forem justificadas, disse a promotora Mary Carmack-Altwies ao conselho de finanças do Estado.

Os investigadores estão se concentrando nos "muitos indivíduos" que manusearam a pistola que Baldwin disparou durante um ensaio, matando Hutchins e ferindo o diretor Joel Souza, disse Carmack-Altwies em uma carta ao conselho.

"Um dos possíveis réus é o conhecido ator de cinema Alec Baldwin", disse ela em uma carta de 30 de agosto solicitando financiamento adicional para processar o caso de alto perfil.

Quatro julgamentos com júri com cada réu acusado sob alguma variação dos estatutos estaduais de homicídio são possíveis, Carmack-Altwies disse ao conselho durante uma reunião de 20 de setembro.

A ex-defensora pública disse que sua equipe enfrenta "advogados de defesa bem pagos e experientes" de Los Angeles e Nova York, e precisaria manter um promotor em tempo integral, um investigador especial, um porta-voz da mídia e testemunhas especializadas.

O conselho de finanças concedeu 317.750 dólares ao escritório do promotor distrital em financiamento durante a reunião de 20 de setembro, depois de solicitados 635.500 dólares.

Baldwin negou a responsabilidade pela morte de Hutchins e disse que a munição real nunca deveria ter sido permitida no set.

Seu advogado Luke Nikas alertou contra suposições de que Baldwin seria acusado.

“A promotoria deixou claro que ela não recebeu o relatório do xerife ou tomou qualquer decisão sobre quem, se houver, pode ser acusado neste caso”, disse o advogado em comunicado na segunda-feira.