Álcool em gel: Falta de matéria-prima obriga Anvisa a mudar regra de produção no Brasil

Marcella Fernandes

O desabastecimento de álcool em gel em diversos estados brasileiros, em plena escalada do novo coronavírus, acendeu o alerta da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A agência decidiu adaptar guia da OMS (Organização Mundial da Saúde) para aumentar a produção no Brasil. O documento traz instruções de como empresas podem obter o produto antisséptico sem carbopol, composto químico em falta no mercado mundial.

″O que está impedindo uma maior produção e entrega no mercado do álcool em gel é a falta da matéria-prima [carbopol]”, afirmou ao HuffPost o gerente da área de saneamento da Anvisa, Webert Santana. De acordo com o especialista, a diretoria da agência pediu estudos internos sobre o tema e vai rever essa orientação de produção nos próximos dias. “Está sendo analisado internamente e deve ser publicada alguma coisa [resolução] nesse sentido, falando dessa formulação, o que deve ter”, disse.

Um grupo de pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) traduziu o guia da OMS que sugere o uso de outras matérias-primas. De acordo com o pesquisador Filipe Canto Oliveira, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, trata-se de uma combinação de álcool 70%, que mata microorganismos, com glicerol, para manter a hidratação, e peróxido hidrogênio, que inativa “esporos de bactérias que álcool 70 sozinho não consegue”.

O cientista afirma que o Brasil é um dos maiores produtores de etanol do mundo e que as outras substâncias também são facilmente encontradas. De acordo com ele, nos Estados Unidos, destilarias estão produzindo e distribuindo para hospitais. No Brasil, é necessária liberação da Anvisa para assegurar esse fornecimento.

LEIA MAIS:

Produção de álcool em gel no Brasil terá matéria-prima distinta.

Empresas ampliam produção de álcool em gel

Empresas que tradicionalmente não...

Continue a ler no HuffPost