Alceu Valença diz que palco é sua vitamina e adianta show que fará no Meca Inhotim

***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 25/11/2018 - o cantor Alceu Valenca. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL, 25/11/2018 - o cantor Alceu Valenca. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Depois de um longo período em isolamento social, Alceu Valença finalmente voltou aos palcos. "De uma hora para outra, tive que interromper uma rotina que cumpro há muitos anos, viajando pelo Brasil e outros países", ele diz. "Estar no palco para mim é a coisa mais natural do mundo. Tem gente que tem medo de palco, mas para mim palco é vitamina. Não há lugar no mundo onde eu me sinta mais em casa."

Ele é uma das atrações do festival mineiro Meca ​Inhotim, que acontece no museu que dá nome ao evento, a cerca de uma hora de Belo Horizonte. Além de Valença, se apresentam no evento Caetano Veloso, a cantora Majur e a dupla Clara x Sofia. A edição deste ano marca o retorno do festival ao Instituto Inhotim, em Brumadinho, nos próximos dias 12, 13 e 14 de agosto, depois de ter duas edições adidas por causa da pandemia.

Ao lado de Caetano, que na ocasião vai completar 80 anos, Valença é a principal atração do Meca. O pernambucano, que tem na manga uma série de shows diferentes —mais roqueiro, acústico, com orquestra, de festa junina ou de Carnaval— diz que no festival vai mostrar sua versão mais completa.

"Vou apresentar meu show ‘Anunciação - Eu Já Escuto os Teus Sinais’, que é um mix de tudo isso", afirma. "Nele canto meus grandes sucessos —'Anunciação', 'Tropicana', 'Belle de Jour', 'Girassol', 'Coração Bobo'— além de temas de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro. É o show que tenho apresentado nos festivais e que vou mostrar na turnê europeia que faço em julho. Chegaremos com tudo em Inhotim."

Valença tomou a quarta dose da vacina contra a Covid-19 na última segunda, no Rio de Janeiro, e hoje se diz aliviado que o momento de reclusão parece estar ficando para trás. "A pandemia foi um momento dramático para todos. Perdi pessoas queridas. É um alento que agora possamos vislumbrar alguma volta à normalidade. Além de seguir todas as orientações da ciência, procurei manter a cabeça saudável e toquei violão como nunca."

Durante os últimos dois anos, ele lançou quatro álbuns acústicos. "Desde que morei em Paris, nos anos 1970, que não tocava tanto. Durante a pandemia, me tranquei no estúdio e lancei três álbuns de voz e violão. Sobre os ensinamentos da pandemia, palavras como humanidade e empatia foram muito empregadas durante este período. Agora é hora de colocar tudo isso em prática. Sigo acreditando numa nação solidária."

Valença não quis se estender nos comentários sobre a morte recente de Paulo Rafael, guitarrista que o acompanhava e de quem era grande amigo desde os anos 1970. Mas o quarto disco que o cantor lançou na pandemia foi um especial em que só ele e Rafael aparecem tocando as músicas. "Foi um dos melhores amigos que tive na vida", diz.

No show do Meca, Valença vai se apresentar num ambiente conhecido. Já tocou no Inhotim com o show "Valencianas", em que divide o palco com a Orquestra Ouro Preto. "Fico encantado com toda aquela interação entre amigos da arte e da natureza, principalmente depois do que aconteceu em Brumadinho. Precisamos de uma atenção cada vez mais urgente às questões de preservação ambiental."

Mas, nesta ocasião, ele acredita que vai encontrar um público mais jovem, algo que tem se repetido por onde ele tem passado. "Fico feliz de ver uma moçada antenada, que ama as coisas do Brasil, numa apoteose total. Há uma troca muito forte com o público nestes festivais. É algo que revigora nossa energia, cria uma atmosfera mágica."

Além dos shows, o Meca Inhotim conta com diversos eventos que incluem palestras e workshops. Há ainda a programação noturna, com DJs e, claro, as atrações regulares do autointitulado "maior museu a céu aberto do mundo". Quem comprou ingresso para as edições de 2020 e 2021 do festival pode trocar a entrada por uma nova.

*

MECA INHOTIM

Quando: 12, 13 e 14 de agosto de 2022

Onde: Instituto Inhotim: rua B, 20, 35460-000. Brumadinho

Preço: R$ 790 o passaporte para os três dias no quarto lote (meia entrada ou doação de um livro)

Elenco: Alceu Valença, Caetano Veloso, Majur e Clara x Sofia

Link: https://www.ingresse.com/mecainhotim2022

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos