'Ainda não aprenderam que a cultura do cancelamento é cafona', diz Karol Conká sobre BBB 23

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Recordista de rejeição na história do Big Brother Brasil, a cantora Karol Conká diz que vai acompanhar a nova edição do reality. "Já vi que está rolando um fervo na Casa de Vidro. O povo aqui de fora mal conhece os participantes e já estão querendo cancelar. Para variar, né", diz ela à reportagem sobre a dinâmica que dá início à disputa.

Montada em um shopping no Rio de Janeiro, a Casa de Vidro reúne quatro participantes que pleiteiam a preferência do público para entrar no BBB —alguns deles já estão sendo criticados nas redes sociais por postagens e comportamentos do passado.

"Ainda não aprenderam que a cultura do cancelamento é uma coisa cafona e não traz nada de bom. É só isso o que tenho para dizer", afirma Karol. Ela participou do BBB 21 e foi eliminada com 99,17% dos votos.

A cantora conversou com a reportagem na pré-estreia do filme "I Wanna Dance With Somebody — A História de Whitney Houston", em São Paulo, na noite de terça (10).

Apesar de considerar que a sua trajetória no reality foi a "maior história de cancelamento do país", Karol aconselha futuros BBBs a se entregarem ao jogo e não terem medo dos julgamentos externos. "Ainda mais depois da minha experiência. Eu estou aqui viva. Sobrevivi", diz.

"Mas tudo se deve ao fato também que eu tive humildade para reconhecer os meus erros e disposição para melhorar como pessoa. Essa é a dica que eu dou: não ter medo do cancelamento, porque sempre vai ter alguém para julgar", completa.

Para ela, é cruel com os participantes do BBB fazer julgamentos baseados na vida fora da casa. "A gente não faz ideia do que rola lá dentro, as perspectivas são diferentes", argumenta.

Karol Conká revela ainda que conhece duas pessoas famosas que deverão entrar no BBB e que pediram conselhos para ela. "Mas vou ser ética e não vou falar nada. Vou ficar quietinha."

Da Casa de Vidro, ela tem dois preferidos: a biomédica Paula Freitas e o médico psiquiatra Manoel Vicente.