Aeromoça conta os bastidores do famoso sexo no avião

Uma aeromoça revelou os segredos do clube de milhas. Foto: Getty Images

Por Sarah Carty

Transar dentro de um avião é uma das coisas mais perigosas que você pode fazer, já que o local é um dos mais cheios de germes e a prática é considerada crime. No entanto, segundo uma antiga aeromoça, ainda assim, os passageiros preferem correr o risco e se juntar ao “mile high club” (expressão em inglês para denominar quem já transou no avião, que em tradução livre seria “clube da milha da altura).

Receba novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais) no seu Whatsapp

A mulher, de Sydney (Austrália), que foi aeromoça de uma grande companhia aérea por cinco anos, afirma que as comissárias de bordo sempre sabem quando os passageiros estão fazendo algo no banheiro, já que a porta treme.

Ela afirma que há um debate no mundo da aviação sobre o que realmente é preciso fazer para juntar-se ao ‘clube de milhas. Alguns costumam dizer que é preciso conhecer a companheira a bordo para poder entrar.

Casais que querem um momento privado durante a viagem aparentemente não se qualificam para entrar no clube.

Leia mais: Climão! Genro descobre que já saiu com o sogro

A aeromoça relembrou o chefe de cabine resolveu parabenizar um casal que tinha entrado no banheiro junto.

“Ele disse: ‘olhe, nós temos uma situação um tanto clube de milhas acontecendo no banheiro nesse momento e quero parabenizar o casal quando ele sair de lá’.”

Todos, obedientemente, formaram uma linha em frente ao banheiro, porque a porta se abria para a cozinha.

“Estávamos todos alinhados por toda a extensão da cozinha e quando eles abriram a porta para sair, começamos a bater palmas”, lembra. “E, por estarmos numa fila, eles foram obrigados a passar por toda a equipe para voltar aos seus lugares.”

Ela conta que a mulher que saiu do banheiro parecia estar morrendo de vergonha, enquanto o homem estava muito confuso e preocupado achando que os dois estavam encrencados.

Uma aeromoça revelou o que aconteceu quando ela testemunhou um casal entrando para o clube. Foto: Getty Images

“Mas no final da linha de comissários de bordo, o chefe de cabine segurava uma garrafa de champanhe e disse ao casal: ‘Em nome da equipe, gostaríamos de recebê-los no clube’ e todos aplaudiram mais uma vez, depois disso todos nós acabamos voltando ao trabalho. Foi algo corriqueiro para a equipe”, conta.

Algumas pessoas na rede social Reddit compartilharam suas próprias experiências. Uma pessoa disse que não chegou nem a ir ao banheiro.

“Voo noturno. Foi antes do 11 de Setembro, então as tripulações não eram tão vigilantes a bordo. As luzes se apagaram. Todos ao nosso redor estavam dormindo. Nós estávamos debaixo de um grande cobertor e ela levantou a saia. Conquista desbloqueada”, contou um.

“Foi num voo para casa depois de uma expedição no México. Nosso grupo era o único grupo a bordo. Disse a uma amiga que deveríamos transar no banheiro só para termos a experiência e ela concordou. A comissária de bordo sabia o que iríamos fazer e apenas sorriu quando entramos no banheiro. Cinco minutos depois, estávamos de volta em nossas poltronas pedindo uma bebida”, contou outro usuário.