Advogados da União pedem a presidenciáveis escolha por lista tríplice

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A diretoria da Anauni (Associação Nacional dos Advogados da União) elaborou um documento de 16 páginas com demandas da categoria, que começou a entregar na sexta-feira (23) aos presidenciáveis. Entre elas, a exigência de escolha do advogado-geral da União entre os servidores de carreira, preferencialmente por lista tríplice votada por eles próprios.

Na proposta, o ocupante do cargo máximo da pasta teria mandato de dois anos, podendo ser interrompido somente com autorização do Congresso Nacional. "Essa medida iria ao encontro da eficiência administrativa, corroborando a ideia de estabilidade e segurança da realização nas atividades estatais", argumenta a entidade.

A Anauni pede ainda a mesma autonomia financeira e orçamentária concedida à DPU (Defensoria Pública da União) e que seja criada uma carreira de apoio, ou seja, que haja concurso para servidores realizarem atividades meio, como envio de ofícios e pesquisas documentais.

"A AGU é hoje a única instituição que compõe o Sistema de Justiça Federal que não possui, ainda, carreira de apoio com o intuito de assessorar os seus membros na realização de suas atividades. A ausência de tal carreira de apoio significa sobrecarregar o membro da instituição e diminuir a eficiência de seu trabalho", justifica.

Os advogados da União também defendem o honorário de sucumbência, ou seja, percentuais pagos aos advogados públicos quando ganham ações que revertem em pagamento de indenizações ou ressarcimentos à União. Eles afirmam que a política remuneratória viabiliza o atingimento de "resultados recordes".