Advogada de Johnny Depp nega retrocesso no combate à violência doméstica

Johnny Depp e Camille Vasquez no processo contra Amber Heard, no tribunal da Virginia, EUA
Johnny Depp e Camille Vasquez no processo contra Amber Heard, no tribunal da Virginia, EUA. Foto: Shawn Thew/Pool via REUTERS

Resumo da notícia:

  • Advogada de Johnny Depp ganhou uma promoção para sócia de escritório após julgamento notório

  • Camille Vasquez comentou sobre o possível impacto do processo no combate à violência

  • Ela não acredita que o resultado a favor de Depp prejudique o movimento "Me Too"

O resultado favorável de Camille Vasquez como advogada de Johnny Depp no processo contra Amber Heard por difamação rendeu uma promoção como sócia. O escritório de advogados Brown Rudnick LLP publicou anúncio do próprio grupo nas redes sociais.

Em entrevista ao "Good Morning America", ao lado de Ben Chew, outro advogado que acompanhou o julgamento, ela comentou a condenação da ex-esposa de Depp e o possível impacto disso no movimento "Me Too" e combate à violência doméstica nos Estados Unidos.

"Não acreditamos [que haja impacto negativo]. O veredicto fala por si só. Os fatos são o que são, e o júri tomou uma decisão unânime baseada neles. Violência doméstica não tem gênero", declarou ela para George Stephanopoulos, apresentador da atração televisiva.

De acordo com o "The Tab", Camille Vasquez é formada em Direito desde 2010 e a disputa Depp X Heard é o seu primeiro caso envolvendo celebridades. O detalhe é que ela é especialista em representar a parte acusadora em processos de difamação.

Sobre o veredito final

Em julgamento no Tribunal do Condado de Fairfax, no Estado norte-americano da Virgínia, o júri considerou que Amber Heard difamou o ex-marido Johnny Depp em texto opinativo, publicado por ela em dezembro de 2018, no qual a atriz fez uma declaração sobre abusos domésticos.

Depois de vencer a batalha judicial, Johnny Depp receberá da ex-companheira mais de 10 milhões de dólares - R$ 48 milhões na cotação atual. Por sua vez, o astro também indenizará a famosa em 2 milhões de dólares - quase R$ 10 milhões.

Entenda o polêmico caso de Johnny Depp e Amber Heard

Johnny Depp processou Amber Heard por difamação em um processo de US$ 50 milhões. A ação foi motivada por um artigo que ela escreveu para o "The Washington Post" em 2018, no qual se descreveu como uma "figura pública que representa abuso doméstico".

Embora Depp não tenha sido citado no artigo, o astro afirmou que isso lhe custou papéis lucrativos no cinema. Heard, então, contra-processou o ex-marido, com um pedido de US$ 100 milhões por causa das declarações que o advogado dele fez sobre suas alegações de abuso.

O casal se conheceu em 2011 enquanto filmava "Diário de um Jornalista Bêbado", e se casou em 2015. O divórcio foi finalizado cerca de dois anos depois.