Adriane Galisteu leva o filho para a parada LGBT+ e é criticada: "Vou mostrar o caminho"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Galisteu apresenta o 'Power Couple' (Foto: Reprodução/RecordTV)
Galisteu apresenta o 'Power Couple' (Foto: Reprodução/RecordTV)

Adriane Galisteu foi duramente criticada nas redes sociais após levar seu filho, Vittorio Iodice, de 11 anos, para acompanhar a 26ª edição da Parada do Orgulho LGBT+ em São Paulo neste domingo (19). Alguns internautas disseram que ela está "incentivando o filho a ser gay", outros chamaram atenção para a idade dele. O que não faltou foram comentários homofóbicos.

Nesta segunda-feira (20), Adriane agradeceu aos que saíram em sua defesa e rebateu as críticas no Twitter. "Eu sempre vou mostrar para o meu filho o caminho do respeito, liberdade e amor, afinal, o amor é a única revolução verdadeira. Ótima semana para vocês, meu beijo!", disse a artista.

Durante o evento, Galisteu não se intimidou e postou fotos e vídeos com o herdeiro na Avenida Paulista. Ela também fez questão de apresentar o "Power Couple" na Record TV, emissora evangélica, com um look colorido.

Vale lembrar que homofobia é crime no Brasil desde 2019 e comentários como os que foram feitos nas publicações da apresentadora alimentam uma violência que só aumenta. De acordo com dados do Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgado em 2021, o número de ocorrências contra pessoas LGBTQIA+ cresceram 20% em relação a 2020.

A Parada do Orgulho LGBT+ em São Paulo contou com shows de Ludmilla, Luísa Sonza, Pocah, Pabllo Vittar, Lexa, Jojo Todynho e mais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos