Acusados de agredir médica no Grajaú vão pagar multas por realização de festa

Gisele Barros
·1 minuto de leitura

Alguns dos acusados de agredir a médica Tyciana D'Azmbuja em março, no Grajaú, na Zona Norte do Rio, fizeram um acordo com o Ministério Públicoestadual para pagar multas de dois salários mínimos pela realização de uma festa clandestina em meio à pandemia de Covid-19. O grupo agrediu a médica após ela reclamar do evento e quebrar o vidro de um carro estacionado em frente a casa onde eles estavam.

De acordo com decisão do juiz André Ricardo de Franciscis Ramos, aceitaram pagar a multa Diogo Ferreira Cabral, Marcus Vinicius Alamim Missena, Fabiana Aragão Mirandela, Carlos Vinícius da Costa Pinheiro, Luis Cláudio Balbino dos Santos, Rafael Martins Presta, Rodrigo Lima Pereira, Luiz Eduardo dos Santos Salgueiro, Rafael Henrique Del Giudice Ferreira e Ester Mendes de Araujo. Dentre os citados, seis respondem ainda pelo crime de lesão corporal grave contra Ticyana e ainda serão julgados.

Cada um dos citados firmou um acordo para o pagamento. Alguns deles vão entregar o valor à vista, enquanto outros solicitaram pelo parcelamento de até dez vezes. Os valores quitados serão destinados ao fundo penitenciário nacional.

Em nota a advogada Maíra Fernandes, que atua na defesa da médica, disse que "considera que esta foi, sem dúvida, uma primeira vitória. Mas, trabalha para que seja feita justiça em relação a todos os danos sofridos por Ticyana D'Azambuja".

A decisão aponta ainda que Rafael Henrique Del Giudice Ferreira e Ester Mendes de Araujo devem comparecer em audiência maracada no dia 10 de dezembro, às 13h, para tentara cordo em razão da lesão corporal simples e ameaça contra as vítimas Marco Antonio Guimarães Cardoso e Juliana Castro Martins Cardoso. Vizinhos da médica, o casal tentou ajudá-la em meio ao episódio de violência.