Alec Baldwin será acusado de homicídio involuntário por tiro acidental em "Rust"

Alec Baldwin

Por Lisa Richwine

LOS ANGELES (Reuters) - O ator norte-americano Alec Baldwin será acusado de homicídio culposo involuntário com pena de prisão pelo tiro fatal na diretora de fotografia Halyna Hutchins durante as filmagens de 2021 do faroeste "Rust" no Novo México.

A principal promotora de Santa Fé, Mary Carmack-Altwies, disse nesta quinta-feira que a armeira do filme, Hannah Gutierrez-Reed, também será acusada de homicídio culposo involuntário.

A família de Hutchins saudou o anúncio, enquanto o advogado de Baldwin, Luke Nikas, disse que "esta decisão distorce a trágica morte de Halyna Hutchins e representa um terrível erro da Justiça".

A decisão de acusação ocorreu após mais de um ano de investigação depois que uma pistola foi disparada em outubro de 2021, quando Baldwin, de 64 anos, estava ensaiando com ela no set de seu filme "Rust" nos arredores de Santa Fé. O diretor do filme, Joel Souza, foi atingido e ferido pela mesma bala calibre 45 que matou Hutchins.

De acordo com um relatório da polícia, David Halls, o assistente de direção que entregou a arma a Baldwin, disse ao ator que estava "fria", um termo da indústria que significa que não continha balas reais. Halls assinou um acordo judicial pela acusação de uso negligente de uma arma letal, disse Carmack-Altwies em seu comunicado. Gutierrez-Reed manuseou a arma antes de Halls.

Os promotores disseram ao New York Times que faz parte dos padrões da indústria que os atores verifiquem se as armas que usam são seguras e nunca devem apontá-las para ninguém. Baldwin rejeitou essa ideia, dizendo que a segurança das armas de fogo era responsabilidade do armeiro, primeiro diretor e outros.

"Você não deve apontar uma arma para alguém que não está disposto a atirar", disse Carmack-Altwies em entrevista ao New York Times na quinta-feira. As acusações serão apresentadas até o final de janeiro, disse ela.

Mas os promotores podem ter dificuldades para garantir uma condenação, de acordo com especialistas jurídicos, que disseram que se Baldwin fosse informado de que a arma não continha munição real por profissionais do set, ele não seria obrigado a inspecioná-la.

"É uma decisão de acusação muito agressiva, e a defesa tem um caso forte", disse o advogado de danos pessoais e ex-promotor Neama Rahmani, que não esteve envolvido no caso "Rust". "Acidentes como este não são suficientes para responsabilidade criminal."

Baldwin e a Gutierrez-Reed serão acusados em duas acusações alternativas de homicídio involuntário, o que significa que um júri decidirá não apenas se eles são culpados, mas sob qual definição de homicídio involuntário, disse o promotor.

Homicídio involuntário simples por negligência é punível com até 18 meses de prisão e multa de 5.000 dólares. Caso os promotores provem que houve mais do que simples negligência envolvida no uso de uma arma de fogo, eles podem enfrentar uma pena de prisão obrigatória de 5 anos.

Baldwin negou responsabilidade pela morte de Hutchins e disse que munição letal nunca deveria ter sido permitida no set do filme. Ele disse que estava seguindo as instruções para apontar a arma para Hutchins quando ela disparou, e que ele não puxou o gatilho da réplica do revólver Colt calibre .45 Pietta.

Ainda não está claro como a munição real entrou no set.