'Achei desnecessário algumas coisas, mas peço desculpas a todos', diz Orochi

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Depois que a polícia invadiu sua casa e encontrou uma arma e drogas, o rapper Orochi usou as redes sociais para fazer um desabafo. Segundo ele, parte da operação teria sido "desnecessária". Ele também se defendeu ao reforçar que a arma encontrada era legalizada.

"Achei desnecessário algumas coisas, mas peço desculpas a todos, a toda a 'menorzada'", disse. "Eu canso de ver [gente] postar foto com arma, colecionadores, políticos. Mas eu não vejo [essas pessoas] tendo casa invadida, busca e apreensão, entrar em viatura, ser conduzido, ficar dez horas na delegacia desenrolando", emendou.

Segundo Orochi, a arma calibre 12 era de posse de um segurança para que o protegesse de qualquer assalto, já que o músico usava um cordão de ouro avaliado em R$ 500 mil na praia.

"Sendo que a arma era legal, estava dentro da lei, estava desmuniciada, era do segurança que estava levando a joia para casa e estava tudo dentro da lei. Só que a rapaziada, as emissoras, todo mundo preferiu colocar como associação ao crime. Vocês acham que isso não tem um pré-julgamento?", afirmou.

Segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, agentes da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) cumpriram na quarta-feira (4) um mandado de busca e apreensão contra o cantor de rap. A ação foi motivada por um vídeo publicado nas redes sociais do músico no qual um homem dançava com uma arma longa

MAIS PROBLEMAS COM A POLÍCIA

Essa não foi a primeira vez em que o rapper se viu envolvido num caso de polícia. Em março de 2019, Orochi foi detido na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. De acordo com a 125ª DP, ele foi autuado pela prática do crime de uso de drogas para consumo próprio e por desacato.

Em junho de 2022, o ator Cauã Reymond, 42, levou um susto enquanto fazia um passeio com a filha, Sofia, 10, a mulher, Mariana Goldfarb, 32, e mais dois cães pelas ruas do Joá, no Rio, onde mora. Isso porque alguns cachorros da raça pitbull o atacaram, e o caso foi parar na polícia.

Os cães moravam numa casa que pertencia ao rapper Orochi. De acordo com o próprio Cauã, após prestar queixa, o músico entrou em contato com ele e tudo ficou acertado

No mês seguinte, outro caso envolvendo o músico e a polícia. Orochi foi detido em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Policiais militares encontraram drogas na BMW do cantor, que estava acompanhado de duas mulheres.

Todos foram encaminhados para a 78ª DP (Fonseca) e liberados depois de assinarem o termo circunstanciado de porte de entorpecentes para consumo próprio. Na saída da delegacia, Orochi foi recepcionado por fãs. Cercado por crianças e adolescentes, ele tirou fotos e até gravou um vídeo publicado nos stories do Instagram.