Aberto da Austrália “provavelmente” será adiado em 1 ou 2 semanas, diz ministro

·1 minuto de leitura
Vista aérea durante final do Aberto da Austrália entre Novak Djokovic e Dominic Thiem

MELBOURNE (Reuters) - O Aberto da Austrália deve ser adiado por uma ou duas semanas, já que as negociações entre organizadores, autoridades de tênis e o governo de Victoria sobre medidas de saúde continuam, afirmou o ministro estadual do Esporte nesta quarta-feira.

A Tennis Australia (TA) classificou no sábado como "especulação" uma reportagem de que o Grand Slam seria adiado de sua programação original de 18 a 31 de janeiro.

"Há uma série de datas potenciais em jogo", disse o ministro de Esportes e Turismo de Victoria, Martin Pakula, a repórteres em Melbourne.

"Tenho visto reportagens que sugerem que é provável o adiamento em uma ou duas semanas. Acredito que ainda é mais provável”, acrescentou.

"Mas não é a única opção. Como vocês sabem, o Aberto da França foi adiado por muitos meses e Wimbledon nem ocorreu. Ainda acho que é muito mais provável que seja um adiamento mais curto do que mais longo."

O premiê de Victoria, Dan Andrews, que na quarta-feira comemorou o 25º dia do Estado sem um novo caso de Covid-19, disse estar confiante de que o torneio seguirá em frente, mas que os jogadores terão que passar por quarentena.

"Teremos um Aberto da Austrália ... mas (terá) que ser diferente", declarou Andrews.

(Reportagem de Nick Mulvenney em Sydney)