Abdulrazak Gurnah é o quarto negro a vencer Nobel de Literatura em 120 anos

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Nobel de Literatura não é conhecido exatamente pela diversidade. Dos 118 escritores premiados desde a fundação do prêmio, apenas quatro são negros, incluindo o vencedor deste ano, Abdulrazak Gurnah, nascido na Tanzânia.

Gurnah foi escolhido, segundo o comitê do Nobel, "por sua rigorosa e compassiva investigação sobre os efeitos do colonialismo e os destinos dos refugiados na lacuna entre culturas e continentes".

Lembre abaixo quem foram os outros três.

Wole Soyinka

Primeiro negro a vencer o Nobel de Literatura, em 1986, Soyinka nasceu na Nigéria e tem proximidade com a cultura brasileira, apesar de só ter dois livros traduzidos aqui --a fábula "O Leão e a Joia" e "Aké: Os Anos de Infância", publicado no ano passado.

Toni Morrison

A única mulher negra a ganhar o prêmio na história, em 1993, ela é a autora de clássicos da literatura americana, como a narrativa de escravidão "Amada", o estudo de não ficção "Jazz" e a pungente narrativa de "O Olho Mais Azul". Ela morreu em 2019, aos 88 anos.

Derek Walcott

Poeta nascido na ilha de Santa Lúcia, no Caribe, ganhou o prêmio um ano antes de Morrison, em 1992. Suas obras são marcadas pelo multiculturalismo e pela veia cômica e luminosa. Morreu em 2017, aos 87 anos

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos