A verdade sobre a saída de Jorge Jesus do Flamengo

Jorge Nicola
·2 minuto de leitura
Jorge Jesus deixou o Flamengo um mês após renovar contrato (Alexandre Vidal/Flamengo)
Jorge Jesus deixou o Flamengo um mês após renovar contrato (Alexandre Vidal/Flamengo)

“A tempestade perfeita”. Foi desta maneira que um dirigente do Flamengo resumiu ao Blog a decisão de Jorge Jesus de trocar o clube pelo Benfica. E ele não é o único que pensa assim. Outros dois rubro-negros e um amigo pessoal do português entendem que vários pequenos fatores se somaram para levar JJ a abrir mão da chance real de bicampeonato da Libertadores pela pressão no clube lisboeta.

Bap, vice-presidente de relações exteriores, é um dos motivos da saída do Mister. Desde sua chegada ao Rio, Jorge Jesus percebe que não tinha no dirigente alguém de confiança. Na partida contra o Emelec, no Equador, Bap passou o jogo inteiro xingando o português. E um membro da comissão técnica de JJ ouviu tudo e fez questão de relatar ao treinador.

Mais recentemente, Bap fez críticas a Diego, Lincoln e até ao próprio Jorge Jesus quando cornetou a entrada do atacante na final contra o Liverpool. Vaidoso, o técnico ficou revoltado. Para completar, o português ainda está convencido de alguém da diretoria vazou um suposto relacionamento extraconjugal dele na última segunda-feira, via Peruano, conselheiro do clube, para queimá-lo junto à torcida.

Além do aspecto político, pesou o fato de o Mundial de Clubes estar ameaçado. Por causa do Coronavírus, a Libertadores só terminará no começo do ano que vem, assim como outras competições continentais. E JJ voltou ao Brasil em janeiro por causa de um pacto que havia firmado com os atletas em relação ao torneio.

A proximidade da esposa, dos filhos e netos também teve relevância. Na virada do ano, quando uma cláusula contratual lhe permitia romper o vínculo, JJ ouviu das pessoas mais próximas para ficar em Portugal. Ele ignorou. Após testar positivo para a Covid-19, algo que não se confirmou dias depois, o português voltou a ouvir diversos apelos para voltar para casa.

E, diante de tudo isso, surgiu uma proposta financeira melhor do Benfica na comparação à do Flamengo. Presidente do clube português, Luís Filipe Vieira é amigo pessoal de JJ e atendeu a todas as suas exigências, como contratar os seis auxiliares com quem trabalhou no Flamengo. E mais: Vieira disse que precisa do treinador para se reeleger presidente, em eleição marcada para outubro.