Por que somos atraídos por algumas pessoas e não por outras?

Crédito da foto: Getty Images

Por Anya Meyerowitz - Red

Pode parecer que não há uma razão para se sentir atraído por certas pessoas e não por outras. Por exemplo, quando um amigo aponta uma pessoa bonita em um bar, mas nós simplesmente não compartilhamos a empolgação - por que isso acontece? Certamente, se alguém é atraente, é atraente e pronto, certo?

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Aqui, a marca de saúde PureOptical apresenta a ciência e a biologia do porquê de sermos atraídos por certas pessoas e por que alguns são atingidos pela flecha do cupido à primeira vista.

Leia também

Por que você se apaixonou por ele e não por mim?

As razões pelas quais você acha alguém atraente podem ser confusas para todos os envolvidos. No entanto, isso não acontece apenas por coincidência. De acordo com o professor de aconselhamento doutor Kerulis, a atração muitas vezes vem dos "nossos padrões de experiências na vida, desde a primeira infância". Relacionamos nossas memórias de infância e as pessoas daquela época com as pessoas que estamos encontrando no presente. Tentamos imitar e recriar as pessoas de nossa infância e ativamente reconhecer traços semelhantes de personalidade nas pessoas do presente. Se seu melhor amigo era alto quando você era jovem, isso pode explicar por que você é atraído por pessoas altas na atualidade.

Aqui entra a ciência

Segundo a doutora Helen Fisher, da Rutgers, a atração é impulsionada pelos mesmos caminhos cerebrais que controlam a sensação de "recompensa". Isso explica por que os estágios iniciais de um relacionamento podem ser tão estimulantes.

A dopamina é produzida pelo hipotálamo (o caminho da recompensa do cérebro) que causa euforia e uma sensação de euforia quando estamos perto das pessoas que amamos. Níveis extremos de dopamina estão relacionados à produção do hormônio noradrenalina, que pode causar perda de apetite e afetar a qualidade do sono. A noradrenalina desempenha um papel fundamental no modo "lutar ou fugir" do cérebro, que entra em ação quando uma pessoa está particularmente estressada ou se encontra em uma situação extrema. Leituras mostram que surge uma grande faísca no centro primário do cérebro quando as pessoas veem uma imagem de alguém por quem estão apaixonados versus quando veem imagens de conhecidos.

A serotonina é liberada logo após encontrar alguém que achamos atraente e, por sua vez, tem um enorme impacto em nossos sentimentos ao longo dos estágios iniciais de um relacionamento. Diz-se que a serotonina distrai a mente de tal forma que uma pessoa pode ter pensamentos sobre a pessoa por quem está atraída por até 65% do dia.

A combinação da dopamina e serotonina são tão influentes ao longo dos estágios preliminares de um relacionamento que as pessoas podem atribuir seus efeitos ao amor. Isso faz sentido no termo "amor à primeira vista".

Instintos Hormonais

Algumas pesquisas sugerem que nosso equilíbrio hormonal desempenha um papel fundamental na determinação de quem achamos atraente. Homens que possuem altos níveis de testosterona podem achar que são mais atraídos por mulheres consideradas particularmente femininas, no entanto, só porque um homem tem um alto nível de testosterona, isso não significa que eles são mais atraentes.

Eu posso ver isso nos seus olhos

A Universidade de Chicago realizou um estudo para determinar se o contato visual contribui para o amor à primeira vista. O estudo se concentrou nos movimentos dos olhos e se havia uma diferença entre os movimentos em casos de amor e desejo. A pesquisa envolveu a exibição de imagens de amor romântico, bem como imagens focadas no sexo. O estudo constatou que as pessoas são mais propensas a se focarem nos rostos de quem amam e se concentram mais no corpo nas outras imagens, o que apoia a noção do amor à primeira vista.

Fale comigo

Estudos descobriram que, em média, as mulheres acham os homens com voz grave atraentes, particularmente quando elas estão ovulando. Diz-se que esse fato pode ter origem na biologia, já que vozes mais profundas são ligadas à produção de crianças saudáveis.

John Wilson, da PureOptical, diz que "a atração pode originar-se de memórias e associações de infância, mas também pode crescer como resultado de uma comunicação consistente". O contato visual, por exemplo, é uma forma de linguagem corporal e indica que você está mantendo o foco total na pessoa com quem está se comunicando. Isso pode fortalecer os relacionamentos e serve como um meio de se destacar dos outros.