A luz do seu celular está envelhecendo sua pele e causando manchas

Marcela Rodrigues
·2 minuto de leitura
Celular e cuidado com a pele: será que combina?
Celular e cuidado com a pele: será que combina?

A quarentena tem mudado os hábitos de skincare de muita gente. Mas boa parte nem sabe que é justamente a rotina com mais tempo em casa, aliado ao homeoffice, que possibilita uma armadilha que contribui um tanto para o envelhecimento precoce da pele: o maior tempo em frente à tela do computador e celular.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

E tudo devido à tal luz azul, também chamada de luz visível, “uma onda eletromagnética que, no caso da natural, tem o sol como fonte e, no caso da artificial, é uma energia gerada a partir de fontes alternativas”, me explicou a médica Katleen Conceição, dermatologista Pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e membro do Skin of color Society-USA.

Leia também

Como a luz do celular pode estar envelhecendo a sua pele

A curto prazo a luz azul influencia no aparecimento de melasma e melanoses solares
A curto prazo a luz azul influencia no aparecimento de melasma e melanoses solares

A médica explica que a luz visível, que parte tanto dos raios do sol como de fontes artificiais (lâmpadas fluorescentes, radiação emitida pela tela do computador ou televisões) atua tanto no processo de pigmentação (bronzeamento) da pele quanto no de hiperpigmentação, isto é, nas manchas.

Como passamos mais tempo em frente aos aparelhos eletrônicos do que antes, eles se tornam ainda mais nocivos do que o sol - que, vamos combinar, não tem nada de vilão, aliás é fonte de vitamina D e serotonina; então não vamos associá-lo ao envelhecimento só por vaidade, né.

Voltando para luz azul dos celulares, segundo Katleen, a curto prazo ela influencia no aparecimento de melasma e melanoses solares, e na piora de cicatrizes pós-procedimentos estéticos.

Aliás, um estudo do Instituto de Química da Universidade de São Paulo revelou que combinada à radiação UVA, a luz visível aumenta a produção de lipofuscina, conhecido como o pigmento do envelhecimento, pela pele.

Como se proteger da luz azul

A dermatologista lembra que é possível se prevenir no dia a dia. Para isso, ela indica o combo filtro solar com cor, que protege contra luz visível, UVA e UVB. “Vale reaplicar a cada quatro horas”, aconselha Katleen. Para quem é adepta dos filtros físicos, como eu, a solução é associá-lo ao filtro físico à base, já que é a cor que cria uma barreira física contra esse tipo de luz.

No mais, vale refletir: quantas horas você tem utilizando aparelhos eletrônicos? Detox digital faz bem pra saúde mental e para a saúde da pele, não se esqueça.